1ª Chamada Bons Negócios pelo Clima está com inscrições abertas até 17/08

Empresas, organizações, empreendedores e ativistas de todos país estão convidados para participar da 1ª Chamada Bons Negócios pelo Clima. Realizada pelo Instituto Climate Ventures Brasil e ClimateLaunchpad, ela tem parceria com Aoka e Instituto Clima e Sociedade (ICS) e apoio da Pipe.Social, Fundação CERTI e Instituto Arapyaú.

As inscrições podem ser feitas pelo site http://bit.ly/PipeClimateVenturese vão até 17 de agosto.

Assim, busca-se encontrar e fomentar negócios e ideias que promovam uma economia mais regenerativa, circular e de baixo carbono, gerando benefícios para o meio ambiente, para a economia e para a diminuição dos impactos sociais.

“Queremos reconhecer e apoiar negócios que dão lucro e fazem bem para o planeta, reduzindo os impactos ambientais e as emissões de gases de efeito estufa,” explica Daniel Contrucci, diretor de operações da Climate Ventures.

Os prêmios incluem a participação em uma rodada de apresentação para investidores, parceiros e representantes da Climate Ventures em São Paulo; imersão de dois dias no Ecossistema de Inovação da Fundação CERTI, em Florianópolis (em outubro); além da possibilidade de competir na ClimateLaunchpad 2018 (maior competição mundial de ideias de tecnologias verde), em Edimburgo, na Escócia (dias 1 e 2 de novembro).

“O objetivo desta chamada é identificar empreendedores que estão construindo esse novo paradigma econômico. Conectá-los a investidores e cadeias produtivas estabelecidas que precisam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. Se o Brasil fizer a lição de casa e acelerar a descarbonização da economia poderemos fazer uma transição suave, atrair investimentos, gerar empregos e estabelecer um longo ciclo de crescimento sustentável no século XXI”, explica o coordenador de economia de baixo carbono do Instituto Clima e Sociedade, Gustavo Pinheiro.

Entre os temas buscados estão soluções voltadas para Gestão da Água; Gestão de Resíduos; Agropecuária; Energia; Logística; Uso do Solo e Florestas – independentemente da fase de desenvolvimento do negócio. O edital completo está em http://climateventures.co/chamada.html. Mais informações: contato@pipe.social

Economia Climática
No Brasil, os desastres naturais contabilizam perdas superiores a R$ 9 bilhões por ano. Isso significa que o país perde algo próximo a R$ 800 milhões mensalmente com desastres naturais em vários setores (dados presentes no Guia prático para decisões com impacto no longo prazo no Brasil, divulgado em dezembro de 2017 pelo WWF-Brasil).

Negócios e empresas já estão buscando maneiras de se adaptar a este desafio e quanto mais rápido for feita a transição para um cenário de baixo carbono, maiores os ganhos para o meio ambiente, para a economia e para a sociedade.

Um relatório recente da Coppe-RJ (UFFRJ) com o apoio do WWF-Brasil e do Instituto Clima e Sociedade (ICS) analisou as implicações econômicas e sociais da adoção do conjunto de medidas constantes na NDCs (Contribuições Nacionalmente Determinadas) do Brasil à Convenção do Clima, até 2050. Chamado de IES BRASIL 2050, o estudo resultou em ganhos em diferentes setores em uma economia de baixo carbono em relação ao modelo atual.

Além disso, em novembro de 2017, o Fórum de Negócios Verdes UE-Brasil, evento organizado pela União Europeia com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, do WWF-Brasil e da Febraban promoveu encontros entre empresários brasileiros e europeus, representantes de instituições financeiras e do setor público brasileiros e europeus para discutir as etapas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, no contexto da implementação do Acordo de Paris no Brasil. Na ocasião, o evento reuniu 75 empresas e 22 instituições financeiras durante dois dias, mostrando a importância deste tipo de iniciativa.

FONTE : WWF BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *