AMTU FALA SOBRE O ASSALTO AO ÔNIBUS

A AMTU informa que o roubo a um dos ônibus ocorrido nesta quarta-feira foi o segundo neste ano registrado pela empresa Grande Marília, concessionária da região Norte e Leste do município, contra sete durante todo o ano passado. O transporte coletivo é notoriamente em todas as cidades do mundo alvo fácil para dinheiro rápido e uma das práticas mais adotadas para se desestimular este tipo de crime é o estímulo ao uso do cartão eletrônico de tarifas, como o Marília Card, através da padronização do sistema tarifário, defendido e aplicado pelas empresas de julho do ano passado até sexta-feira passada, 28 de setembro. As medidas mais avançadas vão além, chegam a proibir o ingresso no sistema por dinheiro em espécie, sendo exigido por lei a compra antecipada de cartões avulsos ou o abastecimento de créditos do cartão eletrônico gratuito. Cidades de grande porte como Campo Grande, com um milhão de habitantes, já proíbe o uso do dinheiro nos ônibus. O transporte é exclusivo com uso do cartão.
A Grande Marília informa que durante o período em que o terminal urbano ficou aberto, priorizando o uso do cartão para a integração em qualquer ponto da cidade, houve queda brusca na ocorrência e registro de roubos, principalmente porque os valores subtraídos eram bem menores e desestimulantes.
Neste episódio recente, dois sujeitos, um moreno alto, outro forte e de estatura média, entraram por volta das 21h no ônibus da linha Parque das Nações na Avenida Pedro de Toledo, perto do centro. Sentaram na frente sem pagar de imediato a tarifa e foram transportados pela empresa até o Santa Antonieta. Esperaram o motorista fazer todo o trajeto por dentro do bairro e ao parar no último ponto, perto do Supermercado Paulista, já retornar ao terminal, o moreno alto sacou da cintura e apontou o revólver ao motorista, enquanto o colega coletava o dinheiro do caixa. Ambos fugiram em direção ao Jardim Renata. Levaram um pouco mais de R$ 100. A média de valores roubados no ano passado era de R$ 30,00.
A AMTU e a Grande Marília lamenta o ocorrido, principalmente para seu funcionário, que da forma que foi treinado e orientado, em casos de roubo, não reagir, ceder o dinheiro e após o ocorrido registrar o fato na polícia.

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *