Cálculo a menos do seguro-desemprego pode ter afetado 20 milhões de pessoas no Japão

O governo não pagou dezenas de bilhões de ienes em seguro-desemprego e indenização a pelo menos 20 milhões de pessoas devido à divulgação de dados irregulares sobre emprego pelo Ministério do Trabalho nos últimos 15 anos, informou a agência de notícias Kyodo nesta sexta-feira (11).
O ministério está considerando o pagamento retroativo dos benefícios concedidos em menor valor. O total pode chegar a mais de 50 bilhões de ienes.
Na última terça-feira, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar admitiu ter publicado a pesquisa mensal de mão de obra apesar de saber que não coletou dados suficientes para garantir sua precisão.
Os dados servem como base para calcular o valor do seguro-desemprego, juntamente com os rendimentos do trabalhador nos últimos meses, e de indenizações trabalhistas. 
De acordo com as regras existentes, o ministério tem que pesquisar todos os locais de trabalho com 500 ou mais funcionários no país. Mas em Tóquio, o levantamento cobriu apenas um terço das cerca de 1.400 empresas desse tipo.
A pesquisa é usada como um indicador-chave para avaliar o sucesso das políticas econômicas do primeiro-ministro Shinzo Abe e das condições de emprego do país, cobrindo mais de 30.000 empresas em todo o Japão, incluindo também aquelas com menos de 500 trabalhadores.
Acredita-se que a prática de dados irregulares tenha começado em 2004, tendo sido passada entre os funcionários do ministério por 15 anos, disseram fontes relacionadas ao governo.
Evidências de um encobrimento sistemático começaram a surgir a partir de janeiro de 2018, quando o ministério usou sigilosamente um software especializado para ajustar os dados e esconder o fato de que a amostragem não foi feita corretamente.
O ministério está realizando uma investigação interna sobre o incidente, questionando os funcionários que trabalharam na pesquisa no passado.

FONTE :ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *