Codemar otimiza os serviços da operação tapa-buracos com utilização de massa fria

Utilização do asfalto instantâneo permite uma agilidade maior no conserto da pavimentação asfáltica

A Codemar (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Marília) está conseguindo otimizar os serviços da operação tapa-buracos na cidade, utilizando a massa fria (asfalto instantâneo), um produto hidrorrepelente recomendado para tapar pequenos buracos.

A utilização do asfalto instantâneo permite uma agilidade maior no conserto da pavimentação asfáltica, pois não requer maquinário, podendo ser transportado em veículo menor, já que vem embalado em sacos de 25 kg.

Nesta segunda-feira (7) pela manhã, dois funcionários da Codemar fizeram o serviço na rua Keiji Akutagawa, no bairro Fontanelli, zona oeste da cidade, como explica o diretor adjunto da Codemar, Maurício Ferrari.

“A massa fria é um trabalho preventivo para pequenos buracos e é muito eficaz, pois não exige compactação, sendo que o próprio tráfego faz este serviço. Além disso, o asfalto instantâneo é de alta qualidade, resolvendo o problema de forma bem rápida e segura”, afirmou o diretor-adjunto.

O produto é utilizado em buracos com no máximo 10 cm de profundidade e diâmetro de até 80 cm, ou seja, onde a base da pavimentação não tenha sido afetada.

“É um serviço recomendado para este tipo de buraco, com especificações do próprio fabricante, que é a Casa do Asfalto, localizada no estado do Paraná. Com isso, a gente otimiza o serviço e todos saem ganhando, pois não precisamos nem interromper o tráfego. O buraco é consertado instantaneamente e o próprio tráfego se encarrega de fazer a compactação”, disse Maurício Ferrari.

A Codemar esclarece também que para a realização do serviço são utilizados veículos e funcionários da própria empresa, ao contrário do que foi divulgado por parte da imprensa local.

O veículo Gol, citado na reportagem, placas BZY-7283, pertence à Codemar (ver foto da documentação). O fato do funcionário estar pisoteando o produto, após a colocação do mesmo, também é normal e segue orientação técnica, já que a compactação final é feita pelo próprio tráfego – o produto não deixa nenhum tipo de marca no calçado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *