Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha será comemorado quarta-feira

Evento será realizado no Teatro Municipal “Waldir Silveira Mello” e entrada será um quilo de alimento não perecível

 

Está chegando um dia de extrema importância para a comunidade negra de Marília, o Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, um evento que surge da iniciativa do coletivo Negras Ginga voltado para as questões e discussões étnico-raciais que prioriza e nas problemáticas que tange à mulher negra: racismo, machismo e sexismo.

A data a ser comemorada é o dia 25 de julho, que surgiu da junção de várias mulheres negras no ano de 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana, quando aconteceu o 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, onde “essas mulheres internacionalizaram o debate que faz surgir o movimento das mulheres afro-latinas e caribenhas, contribuindo desta maneira para a criação da maior antena preta feminista”.

Essa união permitiu a aproximação de profissionais de comunicação, cultura, acadêmicos e áreas afins que hegemonizaram a luta negra na diáspora de forma continental. Data que nos dias de hoje, temos orgulho em comemorar.

Em Marília um grande evento será realizado nesta quarta-feira (25), às 19h30, no Teatro Municipal “Waldir Silveira Mello”, com várias atrações e a entrada será um quilo de alimento não perecível.

O 25 de Julho inaugura o feminismo negro via aglutinação da resistência não é uma data qualquer para as mulheres negras e em 2 de junho de 2014 a presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei nº 12.987/2014, que “é instituído o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, a ser comemorado anualmente em 25 de julho”.

E isto significa o rompimento com um feminismo que nunca nos contemplou. Resgata a luta das mulheres negras da diáspora, iniciada ainda na década 70, através das feministas negras em pontos diferentes da diáspora.

O evento tem uma programação bem dinâmica, com o objetivo de contemplar todas as mulheres negras. As atrações do evento são: Preta Lu (Maranhão), Cia Styllo Black (Tupã), Edna Aparecida (Araraquara), Jéssica Guindas (Marília), Alice Lourenço (Marília), Templo das Águas – Mãe Elisa (Marília), The Diamonds (Marília), Capoelas (Marília), Templo de Umbanda Filhos do Cabloco Cobra Coral – Pai Maycon (Marília).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *