ELEIÇÕES 2018: É MAIS FÁCIL COBRAR DE QUEM ESTÁ PERTO!

Atenção! Chegou o grande dia!!!

E você? Fez a lição de casa? Pensou bem antes de anotar os números dos candidatos que vai digitar logo mais na urna eletrônica?

Já sei, provavelmente você não quer nem ouvir mais falar em voto consciente e esse sentimento é, de certa maneira, compreensível. Mas tenha sempre em mente o que disse o filósofo Platão: Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam.

Independentemente de quem seja o candidato que conquistou a sua confiança, lembre-se que ainda dá tempo de pensar mais um pouco antes de se dirigir à seção eleitoral.

A frase a seguir também parece copiada de alguma campanha eleitoral, mas realmente o futuro do Brasil depende do seu VOTO. Então não o desperdice. Faça uma escolha consciente, baseada nas suas expectativas, experiências e anseios, mas considere também se o candidato tem FICHA LIMPA.

Honestidade foi uma das palavras mais usadas durante a campanha eleitoral de todos os partidos e coligações, mas na prática o que estamos acostumados a ver é algo bem diferente desse discurso. Todos estamos ansiosos por mudanças, mas não vai ser cometendo os mesmos erros, ou praticando os mesmos atos (ou velhos vícios), que vamos obter resultados diferentes. Faça a diferença na urna! Não se deixe levar apenas por pesquisas ou emoções muitas vezes desprovidas de racionalidade. Analise PROPOSTAS, pesquise o PASSADO e veja bem o que o candidato da sua preferência representa de verdade. Dá tempo ainda! A internet facilitou muito a vida dos eleitores, é só saber como usá-la.

A UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente) realizou uma campanha na cidade que consideramos apropriada para qualquer município. Por meio de cartazes e até adesivos para carros, a entidade disseminou o seguinte conceito: “É mais fácil cobrar de quem está perto”!

O objetivo é fazer com que os eleitores levem em consideração que da forma como a distribuição de recursos (Federais e Estaduais) é feita atualmente, a cidade ou região que não eleger representantes no congresso ou na Assembleia Legislativa do Estado, corre o sério risco de ficar esquecida. Esses candidatos uma vez eleitos, têm a obrigação de legislarem e fiscalizarem a distribuição de recursos aos estados e municípios de acordo com a legislação, sem a conhecida e histórica forma eleitoreira de distribuição de recursos, como se o recurso fosse do parlamentar – essa é uma forma eleitoreira de alienação de votos e isso precisa ser mudado. PENSE NISSO.

O verdadeiro voto de protesto é aquele que mostra que de fato estamos insatisfeitos com o presente, mas acima de tudo preocupados com o nosso futuro – e isso não ocorre elegendo personagens, por exemplo. São pessoas reais que governam, além disso “político” não deveria ser profissão.

Por isso também apoiamos e ajudamos a divulgar a campanha “Unidos Contra a Corrupção”. O movimento apartidário de voto consciente é liderado pela sociedade civil e tem por objetivo eleger políticos que preencham três requisitos básicos: 1) ter passado limpo; 2) compromisso com a democracia e 3) dar apoio ao novo pacote anticorrupção.

Essas são ferramentas úteis para que consigamos de fato alcançar a mudança que tanto queremos e merecemos. E, por favor, nem pense emvotar nulo ou em branco. A campanha publicitária de uma rede de “Fast Food” que se espalhou rápido como um rastro de pólvora nas redes sociais às vésperas das eleições, dá um exemplo claro do que isso significa. Na ação pessoas foram convidadas a provarem um lanche, escolhido por outra pessoa para ela. No pão havia apenas cebola e maionese. Obviamente ninguém gostou do lanche, mas a mensagem final dizia algo como “se você deixou outra pessoa escolher o lanche em seu lugar, então não pode reclamar do resultado”.

Nas eleições também funciona assim. Se deixar outras pessoas escolherem por você na urna eletrônica, que é o que de fato ocorre quando se vota branco ou nulo, vai ter que respeitar o resultado sem ter participado da escolha. É melhor e mais democrático escolher, mesmo que seja vencido pela maioria.

Escolher bons representantes não é tão difícil quanto parece. Imagine-se dono de uma empresa: que tipo de pessoa você colocaria no comando (além de você mesmo, claro)? Quem poderia cuidar do seu dinheiro, dos seus projetos e, consequentemente do futuro da sua família? Que tipo de pessoa você deixaria tomar as decisões mais importantes no seu lugar? Não tenha políticos de estimação, mas estima por bons políticos.

O VOTO vale muito mais do que imaginamos. Exerça esse direito com responsabilidade e otimismo. Porque o Brasil tem dono: VOCÊ.

Depois não adianta reclamar.

FONTE : MATRA
   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *