Entre 2 generais, Bolsonaro diz que fala sobre democracia foi mal interpretada

FONTE: PODER 360

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (7.mar.2019) que sua declaração em que afirma que a democracia e a liberdade existem só porque as Forças Armadas querem foi mal interpretada. Segundo o capitão reformado do Exército, “é assim em todo lugar no mundo”.

Em live transmitida no Facebook, ao lado do ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, e do porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, Bolsonaro disse que a fala “começou a levar para 1 lado das mais variadas interpretações possíveis”.

Considerando a experiência e idade do general Augusto Heleno, 71 anos, Bolsonaro o questionou: “O senhor achou o meu pronunciamento lá no Rio de Janeiro polêmico? “.

“Isso daí não tem nada de polêmico, ao contrário, as suas palavras foram feitas de improviso, uma troca qualificada, e foram colocadas exatamente para aqueles que amam a sua pátria e vivem diariamente o problema da manutenção da democracia e da liberdade, caracterizando e exortando para que continuem sendo os guardiões da democracia e da liberdade”, respondeu Heleno.

O ministro disse que as Forças Armadas são “o pilar da democracia” no Brasil.

“Pode chocar alguns, mas isso é o que está escrito e as Forças Armadas são responsáveis por essa manutenção. Se quiserem 1 exemplo, vejam o exemplo da Venezuela. Porque o Maduro está se mantendo no poder? Porque as Forças Armadas estão segurando o presidente já praticamente deposto. Porque que Fidel Castro durou o tempo que durou no poder? Porque as Forças Armadas cubanas mantiveram a ditadura”, completou.

O presidente disse ainda que tentará fazer lives no Facebook para falar sobre assuntos do governo toda semana. O meio de comunicação era também utilizado por Bolsonaro durante campanha eleitoral de 2018.

GASTOS DA PRESIDÊNCIA

Heleno aproveitou a live para rebater as informações de que houve 1 aumento de 16% nos gastos com cartão corporativo da Presidência no atual governo. Para o ministro, a “informação foi colocada por parte da imprensa de maneira incorreta”e foi feita uma comparação com o mês de janeiro de 2018.

“Esquece que nós estávamos vivendo o período da posse e em janeiro de 2018 era o presidente da República, não tinha nem vice-presidente, e agora em janeiro de 2019 nós tivemos 1 presidente que estava deixando o poder, o presidente que foi eleito e mais o vice-presidente. Então, o alto aparato para a posse, a vinda de presidente estrangeiros, autoridades, todo esse movimento é lógico que fez com que o cartão corporativo aumentasse sua despesa. Noticiaram como se tivesse sido uma extravagância, o que não aconteceu”, disse.

Apesar da justificativa do ministro, o jornal Estadão, que divulgou a informação, fez a comparação em relação “a média dos últimos 4 anos”. O cálculo levou em consideração os pagamentos vinculados à Secretaria de Administração da Presidência da República –que incluem as despesas relacionadas ao presidente.

FIM DE LOMBADAS ELETRÔNICAS

Bolsonaro disse que vai extinguir as lombadas eletrônicas de estradas pedagiadas.

“Não teremos mais nenhuma lombada eletrônica no Brasil, e as lombadas que porventura existirem, que ainda são muitas, quando forem perdendo a validade, não serão renovadas”, afirmou.

As lombadas eletrônicas são usadas para registrar aumentos indevidos da velocidade nas estradas, com o intuito de diminuir o número de acidentes.

Segundo Bolsonaro, as lombadas impulsionam a “indústria da multa” e seguem parâmetros injustos e aplicam multas demais.

“É quase impossível você viajar sem receber uma multa”, afirmou o presidente. “Já fui do Rio a Santos de carro e é 1 inferno”, completou.

CONCURSO DO BANCO DO BRASIL

Bolsonaro também afirmou que irá remover a exigência dos cursos de diversidade e prevenção ao assédio moral do edital para assistente técnico do Banco do Brasil.

“Olha só o nível de aparelhamento que existe”, afirmou, sorrindo. “Um conselho que eu dou pra vocês, se porventura, você não for aprovado porque não tem esse curso, você pode entrar na Justiça”

“Estão preparados para fazer concurso pra trabalhar no Banco do Brasil?”, questionou os generais, brincando.

CRÍTICA À CADERNETA DE VACINAÇÃO

Bolsonaro também criticou a caderneta de saúde do adolescente produzidas em 2014, durante do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo o presidente, nas páginas finais da caderneta, há imagens inadequadas para crianças.

No vídeo ele aponta para uma ilustração de uma vulva e outra que ensina a colocar preservativo em 1 pênis.

Ao fazer a crítica, Bolsonaro disse que ficou sabendo sobre a caderneta ao assistir 1 vídeo na internet de uma mulher que não gostou do conteúdo e que ficou “sensibilizado”.

O presidente ainda orientou pais e mães a verificarem a caderneta e, se acharem que é o caso, arrancarem as páginas finais.

O militar disse que o Ministério da Saúde imprimirá novas cadernetas, sem as páginas e “mais baratas”.

AULA SOBRE BNDES

Bolsonaro disse que na próxima semana terá aula com pessoas do TCU (Tribunal de Contas da União) para explicá-lo como funciona o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Segundo Bolsonaro, sua intenção é dar mais transparência ao banco em relação a “todos os empréstimos do BNDES, não só para obras em outros países”, mas para obras feitas no Brasil.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Bolsonaro disse que a reforma da Previdência não será feita só porque ele quer e que sabe que o texto “desagrada algumas pessoas”.

“Não é porque eu quero, nós precisamos fazer uma reforma na Previdência, afinal de contas ela está mais do que deficitária e nós não queremos que no futuro o Brasil se transformar numa Grécia, onde chegou-se ao fundo do poço na questão econômica. E nós pretendemos sim aprovar essa reforma do jeito que está lá, se bem que o parlamento é soberano e pode fazer as suas alterações. Só esperamos que ela não seja muito desidratada, para que atinja seu objetivo e sobre recursos para investirmos em emprego, saúde, segurança e educação”, disse.

O presidente ainda reiterou que a proposta vai impor novas regras ao militares “respeitando as suas especificidades” e que irá “combater privilégios” de congressistas.

“Nessa proposta da Previdência, a Nova Previdência, está ali, em primeiro lugar: combate a privilégios. O parlamentar vai se aposentar com teto no INSS, R$ 5.800”, disse.

MP DO ‘IMPOSTO SINDICAL’

Sobre a MP 873 assinada na última 6ª feira (1º.mar.2019), Bolsonaro disse agora o sindicato que queira receber a contribuição dos seus associados vai ter que emitir o boleto e o trabalhador vai pagar, caso queira.

“A gente espera que o parlamento aprove essa medida”, afirmou. Sindicalistas contra a medida tentam alterar a medida provisória.

VIAGENS OFICIAIS

Bolsonaro confirmou que este mês fará 3 visitas oficiais. As viagens serão para Estados Unidos, Chile e Israel.

“Obviamente vamos trazer algo de concreto dessas visitas. Não só o Itamaraty, mas como os ministérios interessados nessas viagens estão me intimando propostas e possíveis acordos e parcerias que teremos com esses países”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *