Governadores dos EUA tiram agentes na fronteira por caso de menores migrantes

Vários governadores americanos anunciaram na terça-feira que cancelam suas contribuições para a militarização da fronteira com o México com a Guarda Nacional ordenada pelo governo de Donald Trump, para a política de separar famílias detidas.

Embora a maioria destes governadores sejam democratas, como os de Connecticut, Delaware, Carolina do Norte, Pensilvânia, Nova York, Virgínia e Rhode Island, também há alguns republicanos, como o de Massachusetts, Charlie Baker, e de Maryland, Larry Hogan.

Tanto Baker como Hogan, republicanos em estados de tradição democrata, tentarão a reeleição em novembro.

“Nesta manhã, ordenei que nossas quatro tropas retornassem com o helicóptero de onde estão no Novo México”, afirmou Hogan.

“Até que esta política de separar crianças das suas famílias tenha sido rescindida, Maryland não vai mobilizar recursos da Guarda Nacional na fronteira”, acrescentou.

O governador de Virgínia, Ralph S. Northam, também ordenou o regresso de quatro guardas e um helicóptero, enquanto Baker suspendeu em envio de um helicóptero e dois militares.

Os anúncios foram em grande parte simbólicos, já que estes estados ou não planejavam enviar grandes contingentes para a fronteira ou já tinham optado por não colaborar com a militarização ordenada por Trump.

“Em circunstâncias normais, não duvidaríamos em responder ao chamado, mas dado o que sabemos sobre as políticas em vigor na fronteira, não posso enviar nossos soldados para esta missão”, disse o governador de Delaware, o democrata John Carney.

No início de abril, Trump ordenou a militarização da fronteira com o México com até 4 mil soldados da Guarda Nacional, um corpo de reserva sob controle dos estados, para combater a imigração.

O estado que mais contribuiu para esse esforço foi o Texas com aproximadamente 1,4 mil militares.

O governo de Trump reconheceu na semana passada ter separado dos seus pais cerca de 2 mil menores de idade que cruzaram de forma irregular a fronteira entre os dias 19 de abril e 31 de maio.

FONTE : EFE BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *