Governo Daniel Alonso melhora em quase 163% a capacidade de pagar dívidas de curto prazo

Números foram apresentados na manhã desta quarta-feira (27) na Câmara Municipal durante audiência pública

Em apenas dois anos, o Governo Daniel Alonso melhorou em quase 163% a sua capacidade de pagar dívidas de curto prazo com recursos próprios. Os números foram apresentados na manhã desta quarta-feira (27) durante audiência pública realizada na Câmara Municipal.

Estiveram presentes os secretários municipais Levi Gomes de Oliveira (Fazenda) e Bruno de Oliveira Nunes (Planejamento Econômico), além dos vereadores Marcos Rezende (presidente da Câmara), João do Bar, José Luiz Queiroz, Wilson Damasceno, Marcos Custódio e Cícero do Ceasa.

No último ano da administração anterior, em 2016, o índice era de 0,27. Já no primeiro ano da atual administração, em 2017, o índice já subiu 129,62% e chegou a 0,62. Em 2018 o índice foi para 0,71 – o ideal é que fique acima de 1.

Para que se compreenda melhor esse índice de liquidez imediata, significa que para cada R$ 1 devido, Marília tem atualmente R$ 0,71 para pagar.

No comparativo com 2016, quando o município tinha apenas R$ 0,27 para pagar cada R$ 1 devido, a situação mariliense melhorou consideravelmente, comprovando um rigoroso controle das contas municipais.

O prefeito Daniel Alonso destacou a eficiência e a melhora do índice. “Quero parabenizar toda a nossa equipe econômica, que vem agindo com rigor nas contas públicas, valorizando o dinheiro público. A nossa administração respeita cada centavo que entra nos cofres públicos e vamos continuar mantendo esta responsabilidade com o munícipe.”

“O nosso objetivo é que no final da atual gestão as contas do município estejam equilibradas e sem o déficit financeiro que vem se acumulando por diversas administrações anteriores. Mesmo com a situação tendo melhorado muito, Marília ainda depende do recebimento da dívida ativa, por exemplo, para equilibrar o fluxo financeiro de curto prazo”, disse Levi Gomes.

Com o recebimento da dívida ativa, em médio prazo, a situação financeira ficaria bem positiva, com índice de R$ 1,61 para pagar cada R$ 1 devido.

Mesmo ainda não estando no índice ideal, Bruno Nunes afirmou que a situação atual do município tem que ser destacada de forma positiva. “Podemos afirmar que a atual gestão tirou a Prefeitura de uma situação de total insolvência e elevamos para um índice mediano. Temos que continuar com este rigor no controle das contas municipais para que continuemos melhorando este índice.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *