HBU faz mutirão para zerar cirurgias eletivas até dezembro

Diretora Márcia Mesquita Serva Reis ressalta que HBU (Hospital Beneficente Unimar) está preparado para atender a demanda, bastando que sejam agilizados os encaminhamentos pela rede municipal de saúde

 

Os pacientes que estiverem na fila para fazer cirurgias eletivas devem procurar os postos de saúde onde iniciaram a triagem e agendamento, para que sejam marcadas as cirurgias. A orientação é da diretora superintendente da ABHU (Associação Beneficente Hospital Unimar), Márcia Mesquita Serva Reis. Segundo ela, em caso de alguma dificuldade, é possível procurar o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) do HBU (Hospital Beneficente Unimar), para que seja feito o contato para agilizar estes procedimentos.

A diretora destacou que a publicação da portaria e a convocação da secretária municipal de Saúde, Kátia Ferraz Santana, para utilização imediata dos recursos liberados pelo Ministério da Saúde, no valor de R$ 54 milhões, dará nova dinâmica à produção cirúrgica do hospital pelo SUS (Sistema Único de Saúde). “Nós vamos suspender férias de funcionários para nos empenhar e conseguir atender o maior número de pessoas e ajudar a população a resolver esse problema de saúde que hoje é um gargalo do sistema”, relatou.

Márcia Serva apontou que o mutirão vai atender pacientes que estão esperando por cirurgias de face, cabeça e pescoço; oftalmologia; ortopedia e outras do aparelho osteomuscular; cirurgias de aparelho digestivo como colicister (pedra na vesícula), circulatórias e genitourinário. “Os recursos foram liberados e o período para realização destas cirurgias é até dezembro. É um tempo muito curto, em que esperamos fazer o máximo possível de cirurgias. Em alguns casos, queremos zerar a fila existente atualmente”, afirmou a superintendente.

 

CATARATA / O mutirão prevê ainda zerar as cirurgias de catarata, que já vinham sendo feito num ritmo mais lento. “Outra boa notícia é que as operações de catarata também estão inclusas neste trabalho, atendendo pacientes de Marília e de toda região. Estamos prevendo fazer, até dezembro, em torno de 1,6 mil procedimentos de catarata”, afirmou.

Para a diretora, a população também deve atender ao chamado e se comprometer com o projeto. “Nós pedimos às pessoas que também se comprometam com esse projeto, que é para eles, para a população, no sentido de que venham para as consultas e exames marcados. Nós temos muitos problemas de falta no ambulatório e isso vai dificultar o acesso para outras pessoas”, explicou.

É importante também, segundo a diretora superintendente, que as pessoas procurem os postos de saúde para agilizar os atendimentos. “A população que está aguardando as cirurgias, por meio das UBS (Unidades Básicas de Saúde) deve pedir para os enfermeiros ou médicos destas unidades, para que coloquem seus nomes na fila para o atendimento, seja para o HBU ou para a Santa Casa de Misericórdia, para que essa demanda chegue aos prestadores”, explicou.

A autorização do Ministério da Saúde para ampliar o número de cirurgias eletivas (agendadas) nos próximos três meses foi publicada no último dia 12.

    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *