Leilão da SP-294 já parece irreversível

O governador João Dória (PSDB) iniciou sua gestão buscando cortes no orçamento, mesmo que muitas de suas ações sejam analisadas como “impopulares”. As duas principais medidas que geraram manifestações contrárias foram a implantação de sete pedágios na região, entre as cidades de Bauru a Panorama e o fim das atividades do Projeto Guri, que resultaria na demissão de aproximadamente, 600 funcionários no Estado de São Paulo. 

Vale lembrar que o orçamento do governo estadual neste ano foi fixado em R$ 300 bilhões, com aumento de 6% em relação ao orçamento do ano anterior. Recentemente, João Doria recuou de seu projeto inicial e anunciou a permanência do Projeto Guri, após manifestações populares. 

O público, e principalmente os alunos, esperam que o governador, novamente, mude seu posicionamento em relação ao projeto de concessão da Rodovia “Comandante João Ribeiro de Barros” (SP-294), apesar da proposta já parecer realidade e uma questão de tempo na região. 
Várias audiências foram realizadas na região para explicar o projeto. Cidades como Bauru, Marília e Osvaldo Cruz, por exemplo, receberam audiências públicas para discutir a proposta. Muitos que participaram das reuniões disseram que o ideal seria o governo estadual realizar as audiências públicas para conhecer a opinião dos moradores da região, para depois anunciar o projeto e não o contrário. 

Segundo o DER (Departamento de Estradas de Rodogem), o trecho da rodovia, entre os municípios de Tupã e Parapuã, recebeu no ano de 2017 cerca de 7,4 mil veículos diariamente. A previsão é de que uma das praças de pedágio seja implantada no limite entre os municípios de Tupã e Iacri. Ou seja, somente nesse trecho a empresa concessionária arrecadará por mês cerca de R$ 3,2 milhões com a cobrança do pedágio. 

FONTE : TUPÃ CITY

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *