Ministra da Justiça do Japão confirma execução de sete ex-membros da seita Aum Shinrikyo relacionados com ataque no metrô

A ministra da Justiça do Japão, Yoko Kamikawa, disse que considerou cuidadosamente várias condições antes de assinar as ordens de execução de sete condenados à morte em conexão com a seita do fim do mundo, Aum Shinrikyo.

O fundador do culto, Shoko Asahara, cujo nome real é Chizuo Matsumoto, e seis dos seus discípulos foram executados nesta sexta-feira de manhã.

Membros da seita espalharam gás sarin no sistema de metrô de Tóquio em março de 1995, matando 13 pessoas e deixando mais de 6.000 feridas. Também cometeram outros crimes graves.

Em uma entrevista dada à imprensa nesta sexta-feira, Kamikawa disse que havia assinado as ordens na terça-feira. Ela se referiu ao ataque como um ato sem precedentes, extremamente hediondo e altamente organizado. Afirmou que tais crimes nunca mais deveriam voltar a acontecer.

Kamikawa falou, também, que o ataque foi um ato terrorista indiscriminado que envolveu uma arma química e aterrorizou as pessoas, não somente no Japão como no exterior.

Acrescentou que a mágoa e a dor das vítimas dos crimes cometidos pela seita, assim como dos seus familiares, estão além da nossa imaginação.

Afirmou que, embora a condenação dos réus à pena capital deva ser feita com extremo cuidado, sua execução deve ser implementada de modo severo e justo.

Kamikawa disse que as cortes emitem sentenças de morte em caso de crimes hediondos após profundas discussões. Acrescentou que ela assinou as ordens respeitando as decisões das cortes, e que era seu trabalho lidar com a questão de uma maneira cautelosa, severa e justa.

FONTE : NHK PORTUGUÊS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *