Novo mutirão de oftalmo beneficia quase 100 pessoas com catarata e outras doenças

De uma só vez foram atendidos 85 pacientes durante força-tarefa do Hospital Beneficente Unimar

A Prefeitura de Marília, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, em parceria com o Hospital Beneficente Unimar (HBU), confirmou o total de pacientes moradores em Marília, atendidos durante o mais recente mutirão regional de oftalmologia, o primeiro de 2019 realizado na especialidade. Foram atendidas quase 100 pessoas em cirurgias de catarata, pterígio, calázio e vias lagrimais.

O mutirão é resultado de nova liberação de recurso do Ministério da Saúde ao município e também recursos de emendas parlamentares, obtidas com o esforço da Prefeitura de Marília, ampliando o número de pessoas atendidas nesta especialidade.

O atendimento aos pacientes começou às 7h de sexta-feira (29) com a triagem, quando foram feitos consulta e exames para posterior encaminhamento às cirurgias. O Hospital fez o acolhimento no AME (Ambulatório Médico de Especialidades), que funciona no bloco 01 da Unimar.

Todos passaram por avaliação e consulta, visando confirmar indicação cirúrgica. Os procedimentos foram agendados para o dia seguinte, sábado (30). Equipe formada pelos médicos Fábio Vieira da Silva, Ricardo Cassago Filho e Mário Sérgio Marques Pereira Lima, além de mais de 40 funcionários da Unimar e HBU, trabalharam no mutirão.

O secretário municipal da Saúde, Ricardo Mustafá, agradeceu o empenho e parabenizou a instituição pelo mutirão. “Temos grandes parceiros na Saúde e a Unimar está entre os principais, com a confiabilidade de uma equipe de ponta e uma gestão comprometida”, disse.

FILAS NÃO!

Relatório da Secretaria Municipal da Saúde, com dados consolidados do SUS (Sistema Único de Saúde), indica que o ano de 2018 terminou com um total de 8.263 cirurgias eletivas contratadas pelo município nas instituições parceiras, aumento de 78% nos últimos dois anos.

Com esse esforço, as filas de espera foram reduzidas ou extintas, de acordo com a especialidade. No caso da catarata, que tinha uma das maiores demandas, os mutirões foram ainda mais efetivos. Em 2017 foram quase 1.000 cirurgias e no ano passado mais de 3 mil.

ENTENDA

A cirurgia de catarata consiste na retirada da lente natural do olho, que está “fosca” devido ao desgaste do tempo. “É um problema comum da idade, devido ao envelhecimento, exposição à luz e outros fatores”, explica o médico especialista, Fábio Vieira da Silva.

Após a retirada da “lente natural” é colocada uma nova lente, conforme o grau exigido para cada caso. Em algumas situações é corrigido até mesmo o déficit visual que o paciente tinha, dispensando o uso de óculos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *