Parceira na revitalização do Largo da Pólvora, JCI Brasil-Japão destaca ‘ressocialização’

Entregue no último dia 24 com a presença do prefeito Bruno Covas (PSDB), as obras de revitalização do histórico Largo da Pólvora foram executadas por meio de termo de cooperação entre a Prefeitura Regional da Sé, Fecap, JCI Brasil-Japão e Greenline. O espaço passou por obras de revitalização do lago e a implantação de novo paisagismo.
As empresas, que ficarão responsáveis pelo local por 36 meses, investiram cerca de R$ 250 mil, sem ônus para o município. Foram feitas obras de serralheria nos portões, poda e revitalização do lago, colocação de carpas, instalação de bancos, reparos na calçada e de iluminação e religamento dos serviços hidráulicos.
Em entrevista exclusiva ao Jornal Nippak, Bruno Covas disse que o jardim permanecerá fechado por portões, mas ficará aberto ao público das 7 às 22 horas. “A requalificação foi feita em parceria com a sociedade civil e insere-se nas comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil para mostrar a importância da contribuição dos japoneses para a construção da cidade de São Paulo”, destacou Bruno Covas, acrescentando que a Prefeitura está desenvolvendo outras ações para celebrar a data. “Estamos discutindo alguns projetos de denominação em vários pontos da cidade, bem como requalificações em outros lugares para que a gente possa festejar ainda mais os 110 anos”, disse o prefeito.
Segundo a presidente da JCI Brasil-Japão, Patrícia Murakami, “a JCI Brasil-Japão e a Prefeitura são parceiras de longa data”. “A vontade de adotar o Largo da Pólvora não é de hoje, mas de 2015, ainda na gestão na presidente Camila Stuck”, lembra Patrícia, afirmando que “o professor Taiguara Langrafe, vice-reitor da Fecap, sempre foi um grande entusiasta, parceiro e amigo nesta jornada”.

Espaço passou por obras de revitalização e ganhou um novo projeto paisagístico (Aldo Shiguti)
Espaço passou por obras de revitalização e ganhou um novo projeto paisagístico (Aldo Shiguti)

Ressocialização – Para Patrícia, o “mais marcante do projeto” foi o trabalho de ressocialização envolvendo um sem-teto que morava dentro da casa de máquinas que existe no local. De acordo com Patrícia, ele resistia em ir para o abrigo. Com a ajuda da JCI Brasil-Japão, que localizou sua família, no Estado do Paraná, ele pôde finalmente voltar para casa.
Patrícia explica que “a JCI, assim como a Fecap e todos os demais parceiros do projeto, são formados por pessoas que não acomodaram”. “Vejo este projeto como uma vitória da união dos três setores da sociedade: governo, entidades privadas e sociedade civil”, destaca.
Para o prefeito Regional da Sé, Eduardo Odloak, “o Largo da Pólvora é um dos ícones da Liberdade e, junto com a iniciativa privada, conseguimos restaurar e entregar para a população”. “É interessante mencionar que a entrega é um presente para o bairro, justamente na semana em que são comemorados os 110 anos da imigração japonesa no Brasil”, disse Odloak.

Prefeito Bruno Covas e prefeito Regional da Sé, Eduardo Odloak, com representantes da comunidade (Aldo Shiguti)
Prefeito Bruno Covas e prefeito Regional da Sé, Eduardo Odloak, com representantes da comunidade (Aldo Shiguti)

Gratidão – Já o vice-reitor da Fecap, Taiguara Langrafe, explica que “a participação da Fecap no Projeto de Revitalização do Largo da Pólvora é mais uma demonstração da nossa gratidão para com a comunidade japonesa, que sempre nos confiou a formação de gerações de japoneses, nikkeis e seus descendentes”.
Além do prefeito Bruno Covas e do prefeito Regional da Sé, Eduardo Odloak, estiveram prsentes na reinauguração o cônsul geral adjunto do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Akira Kusonoki; o ex-desembargador Kazuo Watanabe; o presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki, e o presidente da Comissão de Relações Governamentais do Bunkyo, Carlos Kendi Fukuhara.

FONTE : JORNAL NIPPAK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *