Parceria AMEI/Conexão Marília

Inicio este primeiro texto agradecendo ao Fernando Andrade pelo convite e espaço cedido no Conexão Marília, para poder falar da AMEI, mantendo a população informada a respeito do nosso trabalho. Será um imenso prazer para nós.

Como nos sugere todo bom protocolo, inicio esta nova jornada de “trabalho” apresentando o que é a Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (AMEI).

A Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (AMEI) foi fundada em 2003, pelo professor Celso Parolisi Filho, com o propósito de oferecer melhor qualidade de vida e de interação social para pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual ou múltipla), através de programas de treinamentos esportivos.

Acreditando nas inúmeras potencialidades da pessoa com deficiência a AMEI iniciou sua história com a natação, sendo que os treinamentos ocorriam na piscina de um clube da cidade Marília. Logo o trabalho que iniciou com 10 (dez) alunos, cresceu e em 2007 aAMEI ganhou sua própria casa, graças a uma parceria firmada com a APAE de Marília e atualmente conta com uma piscina semiolímpica coberta e aquecida, escritórios, vestiários, cozinha e academia. Com o objetivo de atender mais pessoas com deficiências, a instituição passou a ofertar programas de treinamentos voltados para o atletismo e futsal.

Para pessoas com deficiência, a prática esportiva interfere positivamente no desenvolvimento e no aprimoramento de movimentos necessários para a realização de tarefas essenciais de seu cotidiano (AZEVEDO; BARROS, 2004). Além disso, Teodoro (2006) ressalta uma questão interessante nesse sentido: quando a pessoa com deficiência começa a ter sucesso no esporte, a sociedade reconhece que, além de atleta, o indivíduo é um cidadão representante da instituição a que pertence (clube, cidade, estado e país), tornando-se motivo de orgulho para todos.

Hoje são 130 pessoas atendidas pela AMEI, distribuídas nos programas sociais e de alto rendimento. Com um pouco mais de 15 anos de existência a entidade já teve 16 atletas convocados porseleções brasileiras paralímpicas de diversas modalidades. Em resumo foram quatro atletasconvocados pela seleção brasileira de ATLETISMO, sete pela de NATAÇÃO, quatro pela de FUTSAL DOWN e uma pela a de Judô.

Nas Paralimpíadas Rio 2016, evento em que reúne os principais paratletas do mundo, dois atletas e um técnico da AMEI foram convocados para defender as cores do nosso país e fizeram bonito.

Daniel Tavares Martins, deficiente intelectual, venceu aprova dos 400 metros rasos, classe T20, com direito a quebra de recorde mundial.

Alana Martins Maldonado, judoca, deficiente visual, conquistou a medalha de prata na categoria peso médio(até 70 kg).

Luiz Carlos Albieri, treinador de atletismo responsável por revelar grandes nomes do atletismo mundial, como Jadel Gregório, Augusto Dutra, João Vitor de Oliveira (João da Barreira) e Thiago Braz.Auxiliou no treinamento e preparação dos atletas da seleção brasileira de paratletismo que disputou a competição.

Mesmo com resultados tão expressivos no alto rendimento, esse não é o principal foco de trabalho da AMEI. Buscamos através do esporte garantirmaior participação de indivíduos no mundo esportivo, ou seja, temosolhardestinado àquelas pessoas que buscam o esporte como ferramenta para melhora naqualidade de vida. Entendemos que o alto rendimento é consequência de um trabalho social bem realizado.

Não poderia encerrar este primeiro texto sem antes falar da nossa recente e histórica participação nos 62º Jogos Regionais de Marília.

Representando nossa querida cidade de Marília, disputamos as duas únicas modalidades paralímpicas existente na competição, atletismo ACD e natação ACD.  A natação foi realizada na piscina do SESI e lá conquistamos 70 medalhas (36 de ouro, 24 de prata e 10 de bronze) e os títulos de campeão na categoria masculina e feminina.

Terminamos nossa participação no dia 10, onde no Estádio Varzeano Pedro Rojo Sola, disputamos o atletismo ACD e conquistamos mais 60 medalhas (43 de ouro, 15 de prata e 2 de bronze), o troféu de campeão na categoria feminino e de vice-campeão na categoria masculina. Ao todo foram 130 medalhas conquistas, estabelecendo um novo recorde para a AMEI nessa competição e contribuindo com Marília na conquista de mais um título no geral.

Para não me alongar muito, encerro este primeiro texto convidando os leitores a conhecerem um pouco mais do nosso trabalho através das redes sociais. No Facebook nossa página é AMEI – Marília e o nosso site é www.ameimarilia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *