Pessoas presas em vulcão após terremoto da Indonésia iniciam descida

As autoridades da Indonésia anunciaram nesta segunda-feira que as 689 pessoas que ficaram presas no vulcão Rinjani, na ilha de Lombok, após o terremoto de 6,4 graus no domingo, começaram a descer a salvo para a base da montanha.

Fontes do Ministério das Relações Exteriores agregaram que a maioria dos estrangeiros já está a salvo.

O número exato de pessoas que ficaram presas no vulcão não está claro porque as autoridades têm os dados dos turistas que se registraram para subir, mas não de quantos desceram.

A Agência Nacional de Gestão de Desastres cifrou o número em 689 de acordo com os registros de acesso de 27 e 28 de julho, incluídos portadores e guia.

Este registro contém 637 estrangeiros.

O Parque Nacional do vulcão Rinjani indicou hoje no Twitter que as rotas de Senaru e Timbanuh estão aptas para o descenso.

As equipes de resgate também usam dois helicópteros para ajudar na evacuação.

O terremoto de 6,4 sacudiu Lombok no domingo, matou 16 pessoas (uma mulher malaia e quinze indonésios), provocou pânico e causou avalanches e desprendimentos de terras no vulcão que bloquearam as vias de acesso.

Uma das vítimas mortais é um montanhista indonésio que morreu em um deslizamento de terra enquanto ascendia.

Rinjani é um vulcão em ativo, o segundo mais alto da Indonésia, com 3.726 metros sobre o nível do mar.

FONTE : EFE BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *