Quais são os sintomas do sarampo?

Dá para imaginar que em 2016 o Brasil recebeu, da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o diploma de eliminação do sarampo? Pois é. Infelizmente o número de casos neste ano de 2018 aumentou muito, principalmente nos Estados do Amazonas e de Roraima. Mais de 1000 casos de sarampo já foram notificados, até o início de agosto.

O Ministério da Saúde informa que o vírus que está em circulação, inclusive nos Estados das regiões sudeste e sul muito possivelmente foi importado da Venezuela.

A cobertura vacinal no Brasil caiu vergonhosamente, por muitas razões a serem discutidas. Fato é que muitas crianças não receberam a vacina contra o sarampo. O resultado está aí: o vírus não perdoa; acomete os que estão sem proteção. Simples assim.

Quais são os sinais clínicos de sarampo?

O sarampo começa com uma febre, geralmente alta, acompanhada de dores pelo corpo, sensação de fraqueza e mal-estar, como se fosse uma gripe começando. Os olhos podem ficar vermelhos, e a conjuntivite é um sinal que frequentemente está presente.

Neste estágio, muitas vezes aparecem bolinhas brancas na gengiva e na mucosa oral, no cantinho da boca, perto dos dentes molares. Este sinal é fortemente indicativo de sarampo e se chama Sinal de Koplik, em homenagem a quem o descreveu.

Depois de uns 2 a 3 dias, aparecem as bolinhas vermelhas pelo corpo. Importante saber que estas “bolinhas” são bastante exuberantes e confluem tornando-se maiores. Começam no rosto e se espalham pelo corpo. A doença dura em média de 7 a 10 dias para melhorar.

Como se pega o sarampo?

Importante saber que o sarampo é uma doença altamente contagiosa, que é transmitida por secreções advindas de tosse, espirros e/ou saliva da pessoa contaminada. O problema é que a contaminação pode acontecer alguns dias antes dos sintomas clássicos aparecerem. O período de incubação dura em média de 7 a 14 dias.

O sarampo pode ser grave?

O sarampo pode ser grave. Algumas crianças podem desenvolver pneumonia pelo vírus do sarampo, que pode ser fatal. Além disso, pode ocorrer uma complicação neurológica grave que é encefalite e o sarampo também pode causar cegueira.

Por isso, a prevenção com a vacina é de longe o melhor caminho. Para lembrar, a primeira dose desta vacina deve ser dada com 1 ano de idade e a segunda com 15-18 meses. Estas duas doses tem um efeito protetor bastante eficaz. Quem recebeu as duas doses está eficientemente protegido contra o sarampo.

Importante: Quem teve a doença não precisa se vacinar. Também está protegido.

Há tratamento específico para o sarampo?

Não. Não existe um tratamento específico. Quem está com a doença tem que ter orientação médica para receber os medicamentos apropriados para atenuar os sintomas, que são bastante desconfortáveis.

Nesta segunda-feira (6) começa em todo o Brasil a Campanha de Vacinação contra o sarampo e a poliomielite. Vai até o dia 31 de agosto. Todas as crianças de 1 a 5 anos de idade devem comparecer, mesmo as que já receberam a vacina. Vacinem suas crianças. É o maior presente que elas podem ganhar: a garantia de uma vida com saúde: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *