Sesi Vôlei Bauru estreia na Superliga 2018/2019 contra Hinode/Barueri

Equipe inicia disputas da principal competição do voleibol nacional jogando em casa no Panela de Pressão, às 19h30, nesta sexta-feira

 

O Sesi Vôlei Bauru estreia nesta sexta-feira, 16, na Superliga 2018/2019 diante do Hinode/Barueri, às 19h30, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (SP). A equipe inicia as disputas da principal competição do voleibol nacional credenciada pelo inédito título do Campeonato Paulista, conquistado recentemente de maneira invicta com nove vitórias em nove jogos.

O elenco, comandado pelo técnico Anderson Rodrigues, não terá mudanças e será o mesmo que venceu o Estadual de forma incontestável com as levantadoras Fabíola, Naiane e Iarla, as ponteiras Palacio, Vanessa Janke, Edinara, Gabi Candido, Glayce e Kimberlly, as centrais Valquiria, Saraelen, Andressa Picussa e Lara, as opostas Valentina Diouf e Tifanny e as líberos Tássia, Arlene e Júlia.

A expectativa é que a equipe possa fazer campanha capaz de superar as duas últimas participações na Superliga, quando, ainda disputando somente como Vôlei Bauru, classificou-se às quartas de final e foi eliminada, respectivamente, por Minas e Praia Clube.

Mas o caminho para tentar cumprir essa missão promete ser bastante árduo, uma vez que a temporada 2018/2019 da Superliga se inicia com a expectativa de ser uma das mais equilibradas dos últimos tempos. “Esperamos uma competição de altíssimo nível e bastante equilibrada”, analisa o técnico Anderson Rodrigues.

Presente como atleta em todas as 25 edições da Superliga e exemplo de longevidade no esporte, a líbero Arlene também corrobora com a opinião de que a temporada 2018/2019 será bastante parelha. “Penso também que essa Superliga será uma das mais equilibradas dos últimos anos, principalmente por muitas equipes contarem com atletas estrangeiras, que vieram para abrilhantar ainda mais a competição. Creio que tecnicamente e taticamente todas as equipes estarão muito bem preparadas, mas que se destacarão os times com melhor desempenho tático e emocional. Porque chega uma hora em que todos já se conhecem e o emocional contará muito, além da recuperação física, que será primordial para quem conseguir chegar mais longe”, destaca a experiente jogadora, que completará 49 anos no próximo mês.

Arlene também diz esperar, ainda, possíveis surpresas na campanha de algumas equipes e defende a implantação do sistema de “desafio” durante toda a competição a partir da temporada 2019/2020. “Minha expectativa é que esse ano a Superliga venha com mais brilho e com mais nível técnico e tático, até porque estamos ganhando um aliado para ajudar a arbitragem, que é o sistema de desafio a partir das semifinais que espero que na próxima temporada seja implantado em todo o decorrer da competição. Também acredito que essa Superliga haverá grandes surpresas em relação às equipes e que ela possa revelar grandes talentos colaborando para nossa renovação na seleção brasileira”, conclui a líbero.

 

Ingressos

Os ingressos para o jogo entre Sesi Vôlei Bauru x Hinode/Barueri podem ser adquiridos no sitehttps://voleibauru.torcedorstore.com.br e em outros três pontos de venda: Auto Posto Shell (Avenida Nações Unidas, 28-75), Auto Posto Aeroporto (Alameda Octávio Pinheiro Brisolla, 23-25) e Posto Shell (Avenida Getúlio Vargas, 5-20). No dia do jogo também haverá comercialização nas bilheterias do Ginásio Panela de Pressão, a partir das 18h30, somente se os ingressos não tiverem se esgotado nas vendas antecipadas.

Os ingressos na venda antecipada custam R$ 15,00 (arquibancadas) e R$ 30,00 (cadeiras numeradas) e no dia do jogo R$ 20,00 (arquibancadas) e R$ 40,00 (cadeiras numeradas). Todos os valores já são promocionais em que todos pagam meia entrada.

 

Participantes e regulamento

Assim como em temporadas anteriores, a Superliga 2018/2019 reunirá 12 times: Dentil/Praia Clube, Sesc-RJ, Minas Tênis Clube, Osasco-Audax, Hinode/Barueri, Fluminense, Pinheiros, Sesi Vôlei Bauru, São Cristóvão Saúde/São Caetano, BRB/Brasília Vôlei, Curitiba e Balneário Camboriú.

O regulamento da competição prevê a disputa em turno e returno na fase classificatória, avançando à próxima fase as oito melhores equipes. A partir das quartas de final e estendendo-se às semifinais e finais, o sistema dos playoffs será em melhor de três jogos.

Outra característica marcante destes 25 anos da Superliga é a participação de atletas estrangeiras das principais seleções do mundo. Entre os destaques estão as norte-americanas Carlli Llloyd e Nicole Fawcett (Dentil/Praia Clube), as argentinas Mimi Sosa (BRB/Brasília Vôlei) e Julieta Lazcano (Curitiba), as cubanas Herrera (Pinheiros) e Palacio (Sesi Vôlei Bauru), a italiana Valentina Diouf (Sesi Vôlei Bauru), a peruana Angela Leyva (Osasco/Audax), a russa Tatiana Kosheleva (Sesc-RJ) e a polonesa Skowronska (Hinode Barueri).

 

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *