Sistema único de baterias no país é instalado em Fernando de Noronha

O primeiro complexo de baterias interligado à um sistema de geração do Brasil acaba de ser instalado no Arquipélago de Fernando de Noronha. As baterias estão interligadas à Usina Solar Tubarão, e terão um papel estratégico no sistema que abastece a ilha. Durante o dia, período de alta geração, vão acumular a energia excedente, dando suporte ao sistema no caso de instabilidade e trazendo benefícios também à noite, horário de elevação no consumo.

As baterias foram instaladas pelo Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), concessionária do Grupo Neoenergia. Atualmente, a maior fonte de geração de energia da ilha é a termoelétrica, que utiliza cerca de 450 mil litros de diesel ao mês. Para minimizar os efeitos dessa matriz energética, a Celpe construiu duas usinas solares na ilha, que, juntas, geram 9% da energia consumida.

“A passagem de nuvens pela usina solar causa uma intermitência na geração de energia, são nesses momentos que a bateria entra”, explica Kleber Belo, coordenador técnico da Celpe em Noronha. “Da mesma forma, os geradores da termoelétrica só funcionam com carga mínima. A partir de agora, quando houver excedente de geração, ele será utilizado para carregar as baterias”. Assim, o sistema deve deixar de queimar de 10 a 13% de diesel. Essas baterias vão trazer eficiência para todo o sistema”, conclui.

Maior aproveitamento da geração solar
Atualmente, três geradores da termoelétrica são ligados durante o dia, e um quarto gerador é ligado durante a noite, para suprir a demanda de energia da ilha. Agora, com a instalação do novo equipamento, uma parte da energia solar também será armazenada nessas baterias e injetada na rede durante a noite. As baterias têm capacidade de operação de 4.000 ciclos e são feitas de íon de lítio em gel.

O projeto está sendo desenvolvido pelo Lactec, uma organização de pesquisa brasileira sem fins lucrativos e dedicada ao setor elétrico. Esta é uma parceria com a multinacional de energia NEC, a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto Avançado de Tecnologia e Informação (IATI), de Pernambuco.“Desenvolvemos a metodologia para atingir a melhor eficiência com esse equipamento, garantindo segurança e a confiabilidade”, conta Juliano de Andrade, pesquisador do Lactec.

“Essa busca por sistemas cada vez mais eficientes e a preocupação com a redução da emissão de gases de efeito estufa converge com nosso desejo de ver a ilha sendo abastecida 100% por energia renovável no futuro”, aponta Alessandra Mathyas, analista de conservação do WWF- Brasil, parceiro da Celpe no Espaço Aulas de Energia de Fernando de Noronha. O Espaço recebe moradores e visitantes gratuitamente para atividades sobre a geração de energia da ilha com aparelhos interativos, como viagem em realidade virtual, simulador de energia e realidade aumentada.

FONTE : WWF BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *