Tribunal ordena exame psiquiátrico em Marine Le Pen devido a tuítes sobre Estado Islâmico

A política de extrema-direita Marine Le Pen, líder do partido Reunião Nacional, da França, denunciou nesta quinta-feira que um tribunal ordenou submetê-la a um exame psiquiátrico por ter publicado no Twitter fotos de execuções do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

“Por ter denunciado os horrores do #Daesh no Twitter, a ‘justiça’ me submete a um exame psiquiátrico! Até onde vão chegar?”, denunciou nessa mesma rede social, na qual postou a notificação judicial.

Marine publicou em dezembro de 2015 em sua conta do Twitter imagens de execuções praticadas pelo EI como resposta a um jornalista francês que tinha comparado esse grupo terrorista com a Frente Nacional, antigo nome de seu partido.

“Isso é o EI”, afirmou em sua controversa mensagem, antes de retirar uma das três imagens, a da decapitação do jornalista James Foley, a pedido da família do repórter americano.

A notificação do Tribunal de Grande Instância de Nanterre, nos arredores de Paris, datada de 11 de setembro, solicita ao médico designado estabelecer se a infração pela qual é acusada tem relação com “elementos factuais ou biográficos da interessada”.

O tribunal também pede que o médico determine se no momento em que publicou essas fotos, Marine sofria de algum problema psíquico que poderia ter afetado o “controle de seus atos” e se a política de extrema-direita é capaz de entender as perguntas que foram feitas ou se sofre de “anomalias mentais ou psíquicas”.

“É totalmente alucinante. Este regime começa verdadeiramente a dar medo”, denunciou hoje Marine, cuja eventual condenação por “divulgação de uma mensagem violenta” poderia representar até três anos de prisão e 75 mil euros de multa.

FONTE : EFE BRASIL

    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *