Vigilância premia unidades de saúde pelo engajamento e combate à Hepatite C

Foram entregues certificados às equipes que se destacaram; quase mil testes rápidos foram feitos durante a campanha “Fique Sabendo”

Seis equipes da rede básica de Saúde de Marília foram premiadas pela Vigilância Epidemiológica do município, por meio do Programa Municipal de Prevenção às ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e Aids, pelo engajamento na Campanha “Fique Sabendo – Julho Amarelo”, para diagnóstico e prevenção à Hepatite C.

Certificados foram entregues na manhã desta terça-feira (11), na sede da Secretaria Municipal da Saúde. Durante o mês de intensificação, a rede realizou cerca de mil exames. Todas as pessoas com resultado positivo já estão recebendo tratamento.

Dos testes rápidos realizados, 719 foram feitos nas unidades de saúde do município, principalmente nas USFs (Unidade Saúde da Família). Outros 182 foram feitos no SAE, unidade de referência para Infecções Sexualmente Transmissíveis na região.

Destaque para a USF Rosália, onde 71 pessoas passaram pelo procedimento; na USF Novo Horizonte, foram 64 testes; e na USF Figueirinha, 61 atendimentos. Entre as UBSs (Unidades Básicas de Saúde), o maior número de testes foi feito no Santa Antonieta: 37.

O programa de Prevenção às ISTs/Aids também destacou o engajamento da USF Aeroporto (55 testes) e USF Padre Nóbrega. No bairro da zona leste os profissionais buscaram parceria e levaram profissional capacitada para executar o teste.

Já a equipe do distrito demonstrou comprometimento e levou a campanha aos moradores do Maracá e Montana, em ações “extramuros”, com o suporte do ônibus da Saúde e o SAE.

Três casos positivos foram confirmados e encaminhados para tratamento durante a campanha. Em relação a 2017, houve aumento de quase 100% no número de testes rápidos realizados. No ano passado foram feitos 492 procedimentos.

Em contrapartida, o número de casos positivos foi o mesmo do ano passado, o que pode evidenciar, na proporção, redução da incidência de novos casos de hepatites no município.

A enfermeira Alessandra Pereira, responsável pelo programa, analisou o resultado e destacou o comprometimento da rede. “Destacamos as (equipes) que tiveram melhores resultados e que foram criativas, mas nossa gratidão é extensiva a todas, porque observamos aumentar, ano a ano, o acesso a esse importante serviço, favorecendo a política nacional de controle de ISTs/Aids”, disse.

A enfermeira lembrou ainda que, ao fazer o diagnóstico, a rede também atua na prevenção, podendo interromper a transmissão por pessoas que desconheciam o vírus.

HEPATITE. O QUE É?

As hepatites virais são provocadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, o último mais frequente na África e na Ásia. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que milhões de pessoas podem ter os vírus B ou C no organismo, sem ter nenhum sintoma.

As hepatites causam a inflamação do fígado por ação viral, devido ao uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas. Doenças autoimunes, metabólicas e genéticas também podem ser causa da doença. A transmissão varia de acordo com o vírus, podendo ocorrer por contato sexual, exposição vertical (mãe/filho), contato com objetos contaminados, fecal/oral e acidentes biológicos em geral.

Os testes rápidos para hepatites têm função de triagem. Em caso de resultado positivo, é necessária a realização de exame laboratorial, garantido pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

SERVIÇO

O SAE/CTA funciona na rua 7 de Setembro, 793, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3451-2939 e 3413-7421.

   

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *