74% dos japoneses querem o país mais hospitaleiro com residentes estrangeiros

Uma grande maioria dos japoneses acredita que o país precisa criar um ambiente mais acolhedor para os residentes estrangeiros, mas que deve permanecer prudente ao permitir que mais refugiados entrem no país, segundo uma pesquisa do governo.

O Gabinete do primeiro-ministro divulgou na sexta-feira (17) os resultados de uma pesquisa pública realizada a cada cinco anos. Este ano, incluiu, pela primeira vez, perguntas sobre refugiados e residentes estrangeiros.
 

A pesquisa mostrou: 74% dos entrevistados disseram que o país precisa melhorar as condições de vida dos residentes estrangeiros, apontando a necessidade de fortalecer pontos de contato para consultoria em questões relacionadas à vida cotidiana, como procedimentos de status de residência, tratamento médico, assistência infantil e proteção legal, para garantir ambientes de trabalho seguros, bem como suporte multilíngue e preparação para desastres.

Autoridades disseram que a realização da pesquisa se tornou necessária depois que uma emenda à lei de imigração entrou em vigor em abril de 2019, abrindo a porta para que mais de 345.000 trabalhadores estrangeiros entrem no país durante um período de cinco anos para mitigar a queda populacional e aliviar as preocupações sobre o futuro do país. 

Sobre refugiados, 54% consideraram baixo o número dos acolhidos pelo Japão. Em uma pergunta separada, no entanto, 56% disseram que o país deve ter cuidado ao receber mais refugiados, com muitos citando preocupações sobre crime, assimilação cultural e um influxo de refugiados sobrecarregando os fundos públicos.

Nos últimos anos, houve um aumento acentuado no número de solicitações de status de refugiados feitas por pessoas que procuram trabalhar no Japão, disse um funcionário da Agência de Serviços de Imigração a membros da imprensa na quinta-feira.
Eriko Suzuki, professora da Universidade Kokushikan e vice-presidente do grupo sem fins lucrativos Solidarity Network with Migrants Japan, elogiou o governo por sua iniciativa de avaliar pela primeira vez as opiniões do público sobre a necessidade de oferecer um ambiente em que residentes estrangeiros possam viver confortavelmente no Japão. 

Ela acrescentou que a pesquisa mostra claramente a conscientização do público sobre a necessidade de residentes estrangeiros e que é necessário reconsiderar o sistema atual se o Japão quiser aceitar residentes estrangeiros como membros iguais da sociedade.

A visão do público sobre a pena de morte permanece estática, mostrou o relatório, com 80% dos entrevistados dizendo que são a favor e apenas 9% dizendo que acham que deveria ser descartada. Em uma pesquisa anterior realizada em 2014, 80% dos entrevistados apoiaram a pena de morte.

A pesquisa mais recente foi realizada a pedido da Agência de Serviços de Imigração e envolveu entrevistas individuais com mais de 1.500 cidadãos japoneses acima de 18 anos, durante um período de 10 dias em novembro.

“Esperamos que essas informações sejam úteis para os formuladores de políticas, pois consideram como abordar essas diferentes questões”, disse o funcionário do governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *