Apenas 2 atletas do elenco do MAC têm contrato até o final do ano

Um dos principais pontos abordados na reunião da última sexta-feira (dia 17), sobre a retomada do Campeonato Paulista da Série A-3 (ainda sem data definida) foi a liberação para novas inscrições de atletas, já que a maioria dos contratos de boa parte das equipes se encerra no dia 20 de maio. Dos 26 nomes do elenco do Marília Atlético Clube (MAC), apenas dois têm vínculo até o final do ano.

O volante Levi e o lateral-esquerdo Edu Pina possuem contrato com o Alviceleste até o dia 30 de novembro. Como havia falado à reportagem JM após a reunião, o segundo vice-presidente maqueano, Alysson Alex Souza e Silva, disse que a própria Federação Paulista de Futebol (FPF) havia recomendado aos clubes não renovarem os vínculos dos atletas, pois não há previsão de retorno.

Neste caso, se o Paulista da Série A-3 não voltar antes de maio, o Marília poderá realizar até 24 contratações na retomada do estadual. O dirigente maqueano destacou que a Federação permitirá que as equipes contratem jogadores que estavam registrados por agremiações das séries A-1 e A-2, mas que não tenham sido inscritos, ou seja, que não foram relacionados para nenhuma partida.

‘Lista B’ – Outro fator para ajudar os clubes a recontratarem seus elencos foi a flexibilização na utilização da ‘Lista B’. Pelo atual regulamento, se enquadram nessa categoria atletas amadores que tenham vínculo com a agremiação por pelo menos nos últimos seis meses e que tenham jogado uma competição de base até 2019.

Porém, essa facilitação para utilização de jogadores de base ainda não foi especificada na reunião.

Até a paralisação, o MAC havia utilizado três jogadores da ‘Lista B’: o goleiro Giancarlo, o zagueiro Alexandre e o atacante Gustavo Nescau. O primeiro já encerrou seu vínculo amador com o clube e não deverá renovar, já que de acordo com a diretoria, abandonou o time durante a competição para realizar testes no Fluminense.

Já o defensor tem contrato amador até maio de 2021, enquanto que o centroavante assinou profissionalmente até fevereiro de 2023.

Estatuto do Torcedor – Apesar de ter sido acordado em reunião a liberação de novas contratações para a sequência da Série A-3, será necessário realizar mudanças no Estatuto do Torcedor, para que isso seja colocado em prática, pois por lei não é permitido mudar nenhum item do regulamento de uma competição em andamento.

Há uma semana, as diretorias de Marília e Rio Preto enviaram um ofício ao deputado federal Capitão Augusto (PL), pedindo para apresentar na Câmara dos Deputados a alteração de um artigo no Estatuto do Torcedor.

“Na reunião o presidente da FPF (Reinaldo Carneiro Bastos) até agradeceu nossa iniciativa e hoje temos mais oito clubes da Série A-3 nos apoiando nesse ofício. Soubemos ontem que nossa proposta foi acatada e já entregue ao ministro Chefe da Casa Civil, pois se não for aprovada essa alteração, qualquer clube ou até mesmo torcedor, pode ingressar com uma ação e paralisar o retorno do campeonato”, explicou o 2º vice-presidente maqueano.

A alteração sugerida é na Lei Federal nº 10.671, de 15 de maio de 2003 (Estatuto do Torcedor), em especial no inciso 5º do artigo 9º, que proibi a alteração do regulamento da competição após sua publicação e início da competição, visando excepcionalmente neste caso em decorrência da pandemia e situação de urgência por calamidade pública, ocorrer a possibilidade de alteração com flexibilização para que atenda o interesse das equipes participantes do certame e dos torcedores com a realização e conclusão do campeonato, se o caso.

Poderá ocorrer ainda outros ajustes na legislação de modo que venha flexibilizar e colaborar, excepcionalmente com as entidades envolvidas na realização dos campeonatos paralisados em decorrência da pandemia.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *