Atividade das fábricas cai no Japão à medida que pandemia se agrava

O declínio da atividade das fábricas no Japão acelerou em novembro, com a queda na produção e nos pedidos, mostrou uma pesquisa empresarial nesta sexta-feira (20), ressaltando a natureza frágil da recuperação econômica em meio à crise da Covid-19.

O índice de gerentes de compras de manufatura (PMI) au Jibun Bank Flash caiu para 48,3 pontos ajustados sazonalmente, ante 48,7 em outubro, ficando abaixo do limite de 50,0 que separa a contração da expansão pelo 19º mês consecutivo. Foi a primeira vez em seis meses que o ritmo de declínio se acelerou.

A pesquisa PMI mostrou que os principais componentes, como a produção, bem como o total de pedidos novos e de exportação, se contraíram em um ritmo mais rápido do que no mês anterior, destacando o impacto que a crise da saúde continuou a causar nas economias dependentes de exportação, como a do Japão.

O índice de novembro contrasta com dados oficiais mais otimistas, como o Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, que mostrou o Japão emergindo de sua maior recessão pós-guerra. Os dados comerciais de outubro, por sua vez, mostraram que a sequência de quase dois anos de quedas mensais nas exportações diminuiu significativamente.

“Olhando para o futuro, o caminho para a recuperação continua repleto de desafios”, disse Bernard Aw, economista-chefe da IHS Markit, que compila a pesquisa.

“Um novo aumento no número de casos de Covid-19 em todo o mundo poderia prejudicar a atividade econômica global e o comércio, colocando assim os exportadores japoneses em uma situação difícil.”

A pesquisa PMI também apontou piora nas condições do setor de serviços, com a atividade contraindo-se em ritmo bem superior ao do mês anterior, de 47,7 para 46,7 pontos.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *