Bolsonaro pedirá à Anvisa liberação de spray israelense contra covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (15) que o governo enviará em breve à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido para análise de uso emergencial de um spray utilizado em Israel contra a covid-19. Em mensagem nas redes sociais, Bolsonaro compartilhou uma publicação em que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, relata o resultado de uma conversa com Bolsonaro sobre o assunto. O presidente brasileiro usou o Google para traduzir o texto do hebraico.

“Falei ontem por telefone com o presidente brasileiro Jair Bolsonero (sic), que nos parabenizou pelo sucesso da campanha de vacinação em Israel. Concordamos em cooperar no desenvolvimento de medicamentos e vacinas contra o vírus corona. Espero que nos encontremos em breve!”, diz a mensagem de Netanyahu.

Na legenda que acompanha a imagem o presidente brasileiros faz menção a um tratamento da Covid-19 por spray desenvolvido por Israel.

“EXO-CD24 é um spray nasal desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov de Israel, com eficácia próxima de 100% (29/30), em casos graves, contra a Covid”, destacou Bolsonaro. “Brevemente será enviado à [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] ANVISA o pedido de análise para uso emergencial do medicamento”, acrescentou.

Bolsonaro já havia manifestado interesse, na última sexta-feira (12), em que o Brasil participasse dos testes clínicos do EXO-CD24. “Dentre outros assuntos, tratamos da participação do Brasil na 3ª fase de testes do spray EXO-CD24, medicamento israelense que, até o momento, vem obtendo grande sucesso no tratamento da Covid-19 em casos graves”, escreveu o presidente no Twitter antes do fim de semana sobre o diálogo que havia tido com o primeiro-ministro israelense. Israel virou referência na imunização de seus cidadãos e é considerado o país onde o maior percentual da população já foi vacinada contra a covid-19.

Segundo o jornal The Times of Israel, a substância recuperou os 30 pacientes em casos graves ou moderados da doença que participaram do teste. No entanto, os estudos ainda estão na primeira fase. “Esse novo spray está servindo, pelo menos experimentalmente, para pessoas em estado grave. Agora sim. Está em estado grave? Toma, poxa. Vai esperar ser intubado?”, disse o presidente em sua live na última quinta. Não há ainda comprovação científica sobre a eficácia do spray.

FONTE: CONGRESSO EM FOCO(UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *