Brasil participa do Mundial de Vôlei no Japão com sete novatas no grupo

Das 15 jogadoras que compõem a seleção brasileira feminina de vôlei que realiza a aclimatação para o Campeonato Mundial na cidade de Sagamihara (Kanagawa), sete vivem a expectativa de disputar a competição pela primeira vez. A levantadora Roberta, a oposta e ponteira Rosamaria, as ponteiras Drussyla e Amanda e as líberos Suelen e Gabiru podem estrear em um dos mais tradicionais eventos do voleibol.
O Campeonato Mundial acontecerá entre os dias 29 de setembro e 20 de outubro e o Brasil lutará por um título inédito, depois da conquista das medalhas de prata nas edições de 1994, 2006 e 2010, além do bronze, em 2014. O time verde e amarelo estreará na competição no próximo sábado (29), às 13h40 em Hamamatsu (Shizuoka), contra Porto Rico.
A levantadora Roberta comentou sobre a possibilidade de participar do seu primeiro Mundial adulto.
“A expectativa está muito alta. É o meu primeiro Mundial, portanto tudo é muito novo. A atmosfera é completamente diferente. O Mundial e os Jogos Olímpicos são as competições mais importantes para o nosso esporte. Fico muito feliz de ser parte desse time e quero ajudar da melhor maneira possível. Ficamos escutando das jogadoras que já participaram desse campeonato como ele é difícil, com muitos jogos em poucos dias. A ansiedade está grande e quero que a competição comece logo. A aclimatação está indo muito bem e espero que tudo funcione para o nosso grupo”, disse Roberta.
A central Bia falou sobre o momento especial na carreira e ressaltou a felicidade com o momento.
“Estou muito feliz de estar participando dessa competição que ao lado da Olimpíada é o grande campeonato para o voleibol. Já participei de Mundiais de base, mas a sensação de estar em um Mundial adulto é completamente diferente. Temos aquela vontade de chegar logo no dia do primeiro jogo, então vivo uma mistura de ansiedade com felicidade e espero poder ajudar o Brasil a trazer esse título inédito”, afirmou Bia.
A ponteira e oposta Rosamaria chamou a atenção para a mescla de juventude e experiência no grupo brasileiro.
“Estou vivendo uma ansiedade boa. É a primeira vez que participo de uma aclimatação  para um Mundial adulto. É um campeonato longo, mas vejo nosso grupo bem preparado com uma mescla de experiência e juventude que faz muito bem para a equipe. Acredito que o Brasil tem tudo para fazer uma boa participação”, analisou Rosamaria.
O Brasil está no grupo D do Campeonato Mundial ao lado da Sérvia, da República Dominicana, de Porto Rico, do Cazaquistão e do Quênia. As equipes se enfrentarão dentro do grupo e as quatro melhores classificadas passarão à segunda fase, em Nagoia (Aichi).
Aclimatação
A seleção iniciou na última segunda-feira (24) uma nova programação que visa os dois primeiros jogos no Campeonato Mundial. A equipe do treinador José Roberto Guimarães passou a treinar às 13h30, horário próximo dos primeiros desafios do Brasil contra, respectivamente, Porto Rico e República Dominicana.
O treinador José Roberto Guimarães comentou sobre a mudança na programação que tem como objetivo uma adaptação mais rápida ao horário das duas primeiras partidas do Brasil no Mundial.
“Buscamos nos adaptarmos para esses dois jogos. Hoje treinamos em um horário que não é o nosso de costume. Estamos nos aclimatando ao fuso horário do Japão e vivemos a segunda etapa desse período que é a adaptação aos horários dos jogos. Vamos enfrentar em sequência Porto Rico e República Dominicana. As partidas vão acontecer às 13h40 no horário do Japão e readequamos nossa programação em função desses jogos”, explicou.
FONTE : ALTERNATIVA ON LINE
    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *