Brasileiros vivem momentos de pânico após forte terremoto em Osaka

Um forte terremoto atingiu Osaka e províncias vizinhas na manhã desta segunda-feira (18) e causou momentos de pânico para muitos brasileiros que ainda estavam dormindo ou se preparavam para iniciar suas rotinas diárias.
A estudante brasileira Natalia Eckert, de 25 anos, que mora na cidade de Osaka e divide uma casa com três japoneses, contou que estava no 1º andar de casa, pronta para sair, quando o terremoto aconteceu.
“Primeiro achei que fosse efeito de alguma construção aqui perto, mas com o passar dos segundos tive certeza de que era jishin (terremoto). As portas e as janelas faziam barulho e eu fiquei olhando ao redor, calculando se estava em posição de perigo”, contou.
Apesar do susto do tremor, a brasileira afirma que não sentiu medo ao ver a casa balançando. “Tive certeza que a casa era segura, mesmo sendo mais antiga. Era como se tivesse um amortecedor no chão. Eu sabia que tinha que proteger a cabeça e ficar longe dos vidros, mas não sabia se ficava em casa ou saía”, comentou.
O terremoto mudou a rotina de Natalia que, além de perceber que o metrô havia parado, foi informada de que as aulas e o trabalho do dia estavam suspensos. “Estou cuidando o noticiário da TV e ouvi que não tem perigo de tsunami e as instruções são para ficar em casa. É importantíssimo ter uma TV e saber japonês uma hora dessas”, disse.
A brasileira Nina Tanaka, de 26 anos, que vive com a família na cidade de Sakai, também falou sobre o susto e confessou que, em 20 anos de Japão, essa foi a primeira vez que sentiu um terremoto forte.
“Eu estava dormindo e de repente começou a tremer tudo. Eu fiquei na cama esperando passar, mas não passou logo e então eu saí, fui chamar a minha irmã que estava assustada e procurar nossas cachorras. Foi a primeira vez que eu senti perder o controle”, comentou.
Nina, que estava de folga nesta segunda, disse que entrou em contato com os colegas de trabalho e todos estavam assustados. “As pessoas começaram a mandar mensagens umas para as outras e quem mora mais perto do escritório foi lá verificar se nada tinha caído”, explicou.
O brasileiro Daniel Serrano, de 30 anos, que vive em Nara desde setembro do ano passado, contou do susto que levou ao ver a casa balançar. “Esta foi a minha primeira experiência com terremoto. Eu fui dormir tarde ontem por causa do jogo do Brasil e fui acordado pelo tremor. Minha namorada, que mora em Suita, disse que caiu um monte de coisas da estante”, comentou.
INFORMAÇÕES
O tremor registrado às 7h58 desta segunda-feira (18) atingiu magnitude de 6,1 e intensidade máxima de 6- graus (6 fraco) na escala japonesa, de acordo com as informações da Agência de Meteorologia do Japão (JMA, em inglês) e da emissora NHK.
O abalo foi sentido com mais intensidade nas cidades Takatsuki, Hirakata, Ibaraki e Mino, no norte da província de Osaka, além do distrito Norte (Kita) da cidade de Osaka. O tremor chegou a 5+ graus (5 forte) em outras cidades nas província de Osaka e em Quioto. O abalo foi sentindo com 5- (5 fraco) em algumas cidades de Osaka, Quioto, Shiga, Hyogo e Nara.
A província de Osaka abriu um comitê de prevenção de desastres naturais e informações sobre danos e feridos estão sendo coletadas. A recomendação da JMA é que os cidadãos dos locais mais afetados fiquem atentos nos próximos dias, devido ao risco de tremores secundários de mesma intensidade.
FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *