Castramóvel: Prefeitura recebe orientação de veterinários e investe em saúde animal

Conselho Regional de Medicina Veterinária realizou duas visitas de orientação; município terá que fazer adaptações antes de colocar unidade móvel em funcionamento

Para garantir a segurança e a qualidade no uso do Castramóvel, atendendo normas vigentes para unidades móveis, a Prefeitura de Marília, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e de Limpeza Pública e Secretaria Municipal da Saúde, recebeu nesta segunda-feira (24) o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo – CRMVSP.

Os médicos veterinários Fábio Manhoso, conselheiro efetivo do órgão e coordenador do curso de Medicina Veterinária da Unimar, e Adriano Polegato, que atua como fiscal do Conselho, estiveram na garagem da Prefeitura em segunda visita para concluir orientação.

Órgão dos veterinários e a Prefeitura concordam que não pode haver “banalização” do procedimento cirúrgico por mais simples que seja. Por isso todas as cautelas antes que a estrutura seja colocada em funcionamento e possa percorrer os bairros da cidade para promover castrações.

“O município recebeu a Unidade Móvel de Atendimento Veterinário, através de emenda parlamentar, para iniciativas de Educação em Saúde Animal e ações de prevenção de zoonoses, incluindo a possibilidade de castração. Mas para isso é necessário que sejam feitas adequações, visando à segurança destes procedimentos cirúrgicos”, disse Manhoso.

Os representantes do Conselho foram recebidos pelo secretário do Meio Ambiente e de Limpeza Pública, Valderlei Dolce, pela veterinária Melissa Campitelli Ferreira e pelo arquiteto Ivan Rodrigo Nardone, servidores da pasta.

Conforme explicou o secretário, o reboque recebido pelo município é equipado com centro cirúrgico, pia e instalação sanitária, entre outros recursos que teriam como objetivo facilitar o uso para as castrações. Porém, a planta apresenta divergências em relação a normas do CRMV.

“Primamos pela segurança e minimização dos riscos cirúrgicos. Por isso orientamos o município e pactuamos algumas alterações. O secretário acolheu de forma muito receptiva. Tanto a Prefeitura quanto o Conselho defendem que o cão ou o gato da pessoa carente tem que ter o atendimento com a mesma qualidade daquele que tem alto poder aquisitivo e paga o serviço particular”, explicou Manhoso.

O secretário reforçou o compromisso de qualidade. “Estamos formando uma comissão dos nossos servidores, junto com o CRMV, para definir os próximos passos. Feitas as adequações haverá uma nova vistoria e pretendemos, com maior brevidade possível, realizar as castrações e outras ações educativas que esse reboque permitirá”, destacou Vanderlei.

PARCERIA

O investimento é resultado de emenda parlamentar do deputado Ricardo Izar (Progressistas). O investimento é de R$ 128,5 mil, com objetivo principal de reduzir a superpopulação, combatendo abandono e controlando doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *