Confusão emocional Pastoral, como lidar?

Quando estamos confusos emocionalmente, nossa mente se desloca em várias direções ao mesmo tempo e intensifica nossas avaliações.
É um momento no qual nossos pensamentos e sentimentos tornaram-se ineficazes, não sabemos mais qual direção seguir.

Toda auto-avaliação baseada numa auto-imagem confusa é geradora de mais confusão. Portanto, a aceitação da confusão é o primeiro passo em direção à clareza. É o momento de parar. Porém, parar com delicadeza.

Nossa mente acelerada e intensificada não sabe parar bruscamente sem causar danos.

Então, temos que agir com delicadeza. Ter delicadeza nos ajuda a recuperar o bom senso, ter flexibilidade para abrir-se para uma nova possibilidade.

Quando estamos confusos intensificamos nossos mecanismos de auto-rejeição:
Eu não poderia estar sentindo isso! No entanto, é só com delicadeza que seremos capazes de despertar a disponibilidade interna necessária para lidar com sentimentos que consideramos inaceitáveis e intoleráveis.

Mas para não nos distanciamos de nós mesmos, precisamos compreender que devemos aceitar tudo o que estiver acontecendo em nosso interior, menos a auto-rejeição!

O segredo está em sentir o sentimento sem analisa-lo como bom ou ruim. Enquanto a análise estiver contaminada do hábito da auto-acusação, é melhor mantê-la fora. Pois enquanto tivermos uma atitude de acusação para com nós mesmos estaremos nos auto-rejeitando.

Torne-se um testemunho ativo de sua confusão, respirando as emoções sem contrariá-las. Deixe a emoção surgir, aumentar e se dissipar por si mesma. Não lute, nem controle. Seja sincero e compassivo para com você mesmo.

Ser delicados com nós mesmos é um modo de nos auto-aceitar. Auto-aceitação não quer dizer ficar com as nossas confusões emocionais, mas sim permitir ter a experiência de senti-las para se conhecer melhor.

Quando uma confusão surgir, fique com ela mais um pouco e pergunte-se com delicadeza:
O que está acontecendo aqui?

Não negue o que está acontecendo. Dê um pouco mais de espaço para essa experiência, respirando algumas vezes com profundidade. Se sentir um desconforto demasiado ao dar espaço para esta experiência, lembre-se que este é o sinal de que uma velha crença do passado foi ativada em sua mente. Algo como:
Se eu sentir isso, vai acontecer algo ruim… Então, abra-se para escutar a ameaça por inteiro:
O que pode acontecer de tão ruim”?

Num primeiro momento ao sentirmos a confusão emocional, sentimos um aperto no peito. Mas a intenção de nos manter abertos à experiência do acolhimento de nossa própria dor, nos oferece um sentimento de expansão: temos um novo caminho para seguir em frente. Expandimo-nos e nos contraímos ao mesmo tempo. Não há necessidade de forçar nada.

Quando estamos no limite, muitas vezes sentimos ao mesmo tempo o desejo de expandir-nos para novos territórios, e o medo de fazê-lo. Ser gentil significa admitir ambos os lados do que a gente está sentindo, em vez de forçar-se a ir para frente ou assustar-se até recuar. Isso ajudará você permanecer presente, e ver o que acontece a seguir.

Quando estiver confuso, peça a Deus que lhe guie. Provérbios 2:1-8.

Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e entesourares contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido, e para inclinares o teu coração ao entendimento; sim, se clamares por discernimento, e por entendimento alçares a tua voz; se o buscares como a prata e o procurares como a tesouros escondidos; então entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca procedem o conhecimento e o entendimento; ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; e escudo para os que caminham em integridade, guardando-lhes as veredas da justiça, e preservando o caminho dos seus santos.

Peça a Deus que lhe ajude a esclarecer as coisas.

Tiago 1:5-8 Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos.

Se está confuso sobre o próximo passo a dar na vida, Deus lhe ajudará. Salmos 32:8-9

Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; aconselhar-te-ei, tendo-te sob a minha vista. Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio; de outra forma não se sujeitarão.
Quando estiver confuso, não confie em si mesmo.

Provérbios 3:5-8

Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isso será saúde para a tua carne; e refrigério para os teus ossos.

Para mais informações
E-mail: ccpsp2018@gmail.com
WhatsApp: 14988056852
Celular: 14981003557

One thought on “Confusão emocional Pastoral, como lidar?

  • 11/12/2018 em 13:33
    Permalink

    Fico feliz por toda semana ler suas publicações.
    Que Deus o abençoe !

    Pra. Bernarda Oliveira
    Brasilia-DF

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *