Covid-19: agroextrativistas da Amazônia recebem cestas básicas

Luta é a palavra que define o dia a dia dos moradores das Reservas Extrativistas (Resex) Ituxi e Médio Purus, localizadas no município de Lábrea, Amazonas. O acesso é exclusivamente fluvial e grande parte das comunidades não possui acesso à água potável e à energia convencional.

A maioria se dedica ao agroextrativismo: pesca do pirarucu, coleta de castanha e açaí, além do cultivo de mandioca, feijão de praia, jerimum e o manejo de madeira, além de trabalharem como voluntários em ação de proteção de quelônios (tartarugas de rio) e outras espécies nativas da região. Com isso, ajudam na conservação da floresta e dos recursos naturais da região, tão ameaçada pelo desmatamento ilegal.

Desde que foi decretada a pandemia, os agroextrativistas tiveram sua produção drasticamente reduzida por não terem como fazer o escoamento. Além disso, por terem o transporte bastante restrito, ficaram sem acesso aos alimentos que não produzem e os estudantes ficaram sem merenda escolar devido à suspensão das aulas.

Diante do cenário, e com o objetivo de apoiar os povos tradicionais (saiba mais no box ao lado), o WWF-Brasil acaba de doar 233 cestas básicas com alimentos, produtos de higiene e material de limpeza e máscaras beneficiando mais de 1.000 pessoas que vivem nas Resex Ituxi e Médio Purus. As entregas ocorreram com o apoio de dois parceiros locais, a Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas do Médio Purus (ATAMP) e a Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembléia de Deus do Rio Ituxi (APADRIT), com a supervisão dos gestores locais do ICMBio. As duas associações locais selecionaram as famílias mais vulneráveis e que mais precisavam dos produtos.

“Está todo mundo muito feliz com as cestas. Pra nós foi muito bom porque assim a gente não tem que viajar até a cidade para comprar comida. Quem sabe se numa viagem dessas alguém se contamina? Essa cesta é muito importante pra nós, um privilégio. Só temos a agradecer ao WWF-Brasil, que já conhecemos há algum tempo”, diz Benedito de Souza, morador da comunidade Jurucuá, da Resex Médio Purus, que acaba de receber a cesta.

Silvério Barros Maciel, presidente da APADRIT, agrade o apoio recebido. “Para a APADRIT, a ação na Resex Ituxi contra a COVID 19 foi muito gratificante pois várias pessoas estão isoladas nos igarapés com medo da doença e sem nada de alimentos comprados no mercado. Eles estão muito agradecidos com esse grande apoio dos parceiros”, agradece.

“É muito importante apoiar as pessoas que estão na ponta lutando pelo fortalecimento das lideranças comunitárias e pela conservação do meio ambiente. Essas pessoas estão em situação de vulnerabilidade e o apoio do WWF-Brasil permite que eles possam ficar em casa com segurança”, diz Alessandra Mathyas, analista de conservação do WWF-Brasil.

Saiba mais sobre a ATAMP e a APADRIT

O WWF-Brasil é parceiro da ATAMP e da APADRIT desde 2016 por meio do Projeto “RESEX Produtoras de Energia Limpa”, que tem o objetivo de fortalecer as organizações sociais e a produção agroextrativista, ampliando a renda dos moradores locais e diminuindo a dependência dos recursos oriundos do desmatamento. O projeto introduz a energia elétrica de fonte limpa, reduzindo a utilização de óleo diesel e gasolina.

O WWF-Brasil já instalou 20 pequenos sistemas de energia solar de uso coletivo nas Resex Ituxi e Médio Purus e assim que houver segurança sanitária para prosseguir, vai instalar uma minirrede solar fotovoltaica de 30 kW na Vila Limeira, uma das comunidades da Médio Purus. Com este sistema a cominidade será a 100% solar do sul do Amazonas.

FONTE : WWF BRASIL

One thought on “Covid-19: agroextrativistas da Amazônia recebem cestas básicas

  • 24/07/2020 em 18:15
    Permalink

    Sou Fernanda parabéns pelo conteúdo do seu site, gostei muito deste artigo, tem muita qualidade vou acompanhar o seus artigos.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *