Deputada vai propor auxílio emergencial para atingidos por enchentes no Acre

A deputada federal Perpétua Almeida (PC do B-AC) deve apresentar nesta segunda-feira (22) projeto que destina um auxílio emergencial extraordinário aos afetados pelas enchentes no Acre. De acordo com a Defesa Civil do estado, centenas de famílias foram atingidas pelas enchentes e milhares estão desabrigados.

Ao Congresso em Foco, a parlamentar relatou que várias regiões estão ilhadas e só podem ser

por avião, que muitas vezes não conseguem circular pelo mau tempo. De acordo com ela, dos cerca de 800 mil habitantes do estado, em torno de 120 mil foram afetados pelas chuvas, muitos deles perderam tudo. “Em Tarauacá, uma das cidades que mais chove no Brasil, cerca de 80% da cidade está alagada”, conta.

Perpétua afirma que quer apresentar o projeto nesta segunda, para que na quarta-feira (24), quando o presidente Jair Bolsonaro deve visitar o estado, o tema já esteja em discussão. No Acre, Bolsonaro recebeu mais de 77% dos votos nas eleições de 2018.

O auxílio emergencial foi criado em meio à pandemia de covid-19 e foi pago apenas até dezembro. Porém, com o prolongamento da crise sanitária, o benefício deve ser retomado.

No último dia 16 foi decretado estado de emergência no Acre, que, além da cheia dos rios, enfrenta ao menos outras três crises: um surto de dengue hemorrágica, aos altos índices de casos de covid-19 e ainda a crise migratória, principalmente de haitianos que ingressam no país.

A deputada afirma que o município de Assis Brasil, que tem cerca de 7 mil habitantes, abriga quase 500 imigrantes estrangeiros. A maioria, afirma, entra no Brasil pelo Acre com o objetivo de chegar ao Peru. Em Assis Brasil fica a ponte de integração Brasil-Peru.

A cidade, de acordo com a parlamentar, não tem estrutura financeira ou física para abrigar os imigrantes. Muitos deles têm dormido embaixo de lonas nas praças e ruas da cidade. Na última semana, imigrantes tentaram cruzar a ponte rumo ao Peru. Porém, não tinham autorização para entrar no país. Os governantes brasileiros locais e o governo federal tentam negociar com o país vizinho uma solução definitiva para o problema.
O cenário agrava ainda mais a disseminação da covid-19 no estado. Perpétua Almeida cita que, por fazer divisa com o Amazonas, o governo deveria ter feito um “cinturão de isolamento” entre o estado e o Acre, para evitar a disseminação da nova variante do vírus.

A deputada defende ainda revisão da quantidade de vacinas enviadas ao Acre diante das graves crises enfrentadas. O Tribunal de Justiça e o Ministério Público do Acre lançaram uma campanha para arrecadar doações. A sociedade civil também se mobilizou para ajudar o estado:

FONTE : CONGRESSO EM FOCO (UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *