Deputados criticam Bolsonaro por defender trabalho infantil

Os números, segundo Gadelha, mostram que o presidente deveria era reforçar a política de combate ao trabalho infantil. Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, do Ministério da Saúde, relatam que, entre 2007 e 2018, o Brasil registrou 43.777 acidentes de trabalho com crianças. Neste período, 261 morreram durante a execução das atividades. “Crianças que, infelizmente, não tiveram infância, tampouco sonhos”, lamentou o parlamentar.

“É um completo absurdo”, seguiu o deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP). Segundo ele, o comentário de Bolsonaro é incompatível com um presidente da República. “Uma das consequências dessa declaração, independente de ser efetivada, é acender o sinal verde para a exploração da mão de obra infantil”, disse.

A Constituição Federal de 1988, a Consolidação das Leis do Trabalho, o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Convenção nº 168 da OIT, que foi incorporada ao ordenamento jurídico brasileiro, vedam ou restringem o trabalho de criança e adolescente.

Veras conclui: “Cresceram o ódio e a intolerância no Brasil”.

FONTE : CONGRESSO EM FOCO (UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *