Elite do vôlei feminino reúne aproximadamente 3 mil pessoas no Ginásio Neusa Galetti

O Sesi Vôlei Bauru venceu o Sesc Rio por 3 sets a 2, parciais de 25/13, 16/25, 25/20, 20/25 e 15/13, nesta terça-feira (22) à noite, no ginásio Neusa Galetti, em Marília, em duelo válido pelas quartas de final da Copa Brasil 2019 e reuniu aproximadamente 3 mil pessoas. O evento contou com apoio da Prefeitura de Marília por meio da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude, e da Unimed Marília.

Com o resultado, a equipe avança às semifinais, que serão realizadas em Gramado (RS), no próximo dia 1º de fevereiro, onde enfrentará o Dentil/Praia Clube, às 19h30.

O secretário Municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Eduardo Nascimento, parabenizou a equipe de Bauru e destacou a bonita festa no Ginásio Neuza Galetti.

“O jogo foi equilibrado e o vôlei Bauru conquistou a vitória merecidamente. Foi um jogaço e o público do Neusa Galetti nos surpreendeu, pois apesar do pouco tempo de divulgação, havia aproximadamente 3000 pessoas. Isso prova nosso potencial para organizar grandes eventos esportivos. Quero agradecer ao Reinaldo, diretor do Vôlei/ Bauru, nosso parceiro, e reafirmar que sempre faremos questão de atendê-lo. Foi um jogo emocionante e Marília está com as portas abertas para receber eventos esportivos”, disse Nascimento.

O jogo

O Sesi Vôlei Bauru iniciou o jogo contra o Sesc RJ com a seguinte formação: Fabíola, Gabi Candido, Palacio, Valentina Diouf, Saraelen, Andressa Picussa e Tássia. O primeiro set foi dominado pelo Sesi Vôlei Bauru do início ao fim.

Com saque agressivo, impôs muitas dificuldades à linha de passe das cariocas e, com desempenho consistente no bloqueio e ataque, foi construindo grande vantagem no placar. Mesmo com Bernardinho parando o jogo em duas oportunidades, o Sesi Vôlei Bauru manteve o ritmo e fechou a parcial em 25/13.

Já no segundo set a instabilidade passou para o lado do Sesi Vôlei Bauru, que sofreu com o saque do Sesc RJ e permitiu às cariocas abrir vantagem no placar. Anderson Rodrigues parou o jogo em duas oportunidades para tentar reorganizar a equipe, mas o Sesc RJ manteve o ritmo e, aproveitando os erros do Sesi Vôlei Bauru, fechou a parcial em 25/16.

O terceiro set seguiu equilibrado até 10/10, quando o Sesi Vôlei Bauru abriu quatro pontos de vantagem no 14/10 e Bernardinho parou o jogo. No reinício o Sesc RJ reage e empata em 15/15, quando é a vez de Anderson Rodrigues pedir tempo. Com as entradas de Naiane e Tifanny, o Sesi Vôlei Bauru volta a ficar à frente em três pontos no 19/16 e Bernardinho para o jogo novamente. No reinício o Sesi Vôlei Bauru se impõe e fecha a parcial em 25/20.

O quarto set foi liderado pelo Sesc RJ do início ao fim. Com desempenho bastante regular, as cariocas não deram chance de reação ao Sesi Vôlei Bauru, que sofreu, especialmente, com o saque agressivo. Desta forma, o Sesc RJ fechou a parcial em 25/20, levando o jogo para o tie break.

O quinto set começa ponto a ponto até o Sesi Vôlei Bauru abrir dois pontos no 6/4 e Bernardinho parar o jogo. No reinício o Sesi Vôlei Bauru amplia a vantagem para quatro pontos no 9/5 e Bernardinho pede tempo novamente. Após abrir 11/5 no placar, o Sesi Vôlei Bauru permitiu a reação ao Sesc RJ, que empatou e fez o final do set ficar “cardíaco”. Na reta final, e embalado pela torcida, o Sesi Vôlei Bauru foi mais eficiente e fechou a parcial em 15/13 e o jogo em 3 a 2.

As maiores pontuadoras do Sesi Vôlei Bauru no confronto foram a oposta Valentina Diouf, com 23, a ponteira Palacio, com 16, a central Andressa Picussa, com 13, a ponteira Gabi Candido, com 10, e a ponteira Tifanny, com 7.

“Merecemos a vitória e o que nos deixa ainda mais contente é que ainda não havíamos ganho das equipes que estavam à nossa frente na classificação da Superliga. Foi uma partida dificílima e conseguimos a vitória graças à força do nosso grupo”, destacou a central Andressa Picussa.

Já o técnico Anderson Rodrigues enfatizou a conquista da vaga às semifinais e, principalmente, o desempenho da equipe diante das cariocas. “O que mais me deixou satisfeito foi que o time mostrou evolução. Claro, ainda erramos, mas conseguimos minimizar os erros, especialmente, em fases decisivas dos sets.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *