Ex-funcionário processa McDonald’s do Japão por ser obrigado a entregar pedido em 30 segundos

Um ex-funcionário da rede McDonald’s que sofreu um ataque cardíaco por excesso de trabalho está processando a empresa por forçá-lo a pedir demissão depois de impor o que ele diz ser um plano irrealista de melhoria de desempenho. As informações são do jornal Mainichi.

Em uma ação movida no Tribunal Regional de Nagoia (Aichi), o ex-funcionário exige readmissão ao trabalho, pagamento de salários atrasados de dois anos e ¥2 milhões por danos físicos e psicológicos.

Segundo o processo, o ex-funcionário sofreu um ataque cardíaco devido ao excesso de trabalho em novembro de 2016, enquanto trabalhava em um McDonald’s na cidade de Nagoia.

O homem passou por uma cirurgia cardíaca e seu médico disse que ele deveria evitar exaustão extrema por seis meses. No entanto, o McDonald’s ignorou a recomendação do médico.

Após seu retorno ao trabalho, com turnos noturnos consecutivos, o funcionário foi hospitalizado novamente em agosto de 2017. Ele foi submetido a outra operação, mas a empresa pediu o retorno ao trabalho no mês seguinte.

O homem disse que foi obrigado a cumprir um plano de melhoria de desempenho em setembro de 2018, que, segundo ele, incluía metas irrealistas, como preparar e entregar um pedido em menos de 30 segundos.

Em janeiro deste ano, o McDonald’s exigiu que o homem assinasse um acordo de demissão, citando sua incapacidade de atingir os objetivos do plano de melhoria. Ele foi diagnosticado com depressão em fevereiro e a empresa registrou sua demissão no final de abril.

“Sofri muito psicologicamente por ter sido forçado a voltar ao trabalho logo (após a cirurgia) e, como resultado, ter sido forçado a passar por uma segunda operação”, disse.

Um funcionário do departamento de relações públicas do McDonald’s do Japão disse ao jornal Mainichi que não poderia comentar o caso por não ter conhecimento do conteúdo do processo.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *