Filha de Ivo Meirelles relata caso de racismo em loja da ‘C&A’: ‘A revolta é gigante, mas sigo firme’

Vitória Meirelles, filha do cantor Ivo Meirelles, usou as redes sociais para relatar um caso de racismo sofrido por ela em uma loja da C&A, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (23). No Instagram Stories, a jovem relatou que foi vigiada por uma funcionária da loja durante todo tempo em que esteve no local. Ao ‘G1’, a assessoria de imprensa do cantor informou que sua filha seguiria para uma delegacia, na manhã desta terça-feira (24), para relatar o ocorrido e fazer a denúncia.

“Vou procurar junto as autoridades o que eu posso fazer para que a marca C&A tenha conhecimento do que aconteceu comigo e responda por isso para que situações como esta não aconteçam mais com ninguém. Foi um grande constrangimento, algumas pessoas notaram. Na hora eu fiquei muito abalada, sai da loja chorando. Não tive reação a não ser sair da loja. Mas agora preciso sim tomar uma atitude para que isso não aconteça mais com nenhuma pessoa ali”, afirmou Vitória Meirelles ao “G1”.

Na rede social, Vitória relatou o ocorrido com detalhes. “Mais um caso de racismo (nenhuma novidade) e desta vez foi comigo. Pois é, na C&A do centro da cidade. Entro na intenção de comprar das camisetas brancas e durante todo o tempo em que as busco, uma segurança/supervisora, branca, de cabelos loiros, anda atrás de mim por cada canto da loja. O absurdo é tamanho que até no provador ela entrou quando fui experimentar. Depois de notar que na fila para pagar as camisetas, ela não saia do meu lado, entendi que o problema era eu. Após pagar, decidi testar uma última vez se aquilo realmente estava acontecendo. Então quando resolvi ir na parte da coleção nova, já estava ela de canto, parada, me encarando. E o pior de tudo são as pessoas olhando para minha cara como se eu realmente fosse uma suspeita. A sensação de impotência e humilhação é tão grande que a vontade de chorar vem sem a gente querer, mas como um bom fruto do Morro da Mangueira, que quem me conhece já sabe, parada na porta da loja me fiz der entendida. Com dois seguranças negros parados ali, perguntei em alto e bom tom se ela estava com algum problema comigo, se era o tom da minha pele ou a característica das minhas vestes. A revolta é gigante, mas sigo firme. Racistas não passarão”, escreveu a jovem.

Ivo Meirelles também fez questão de se manifestar sobre o caso. “Uma vergonha. Acabei de saber que uma funcionária, loura, perseguiu a minha filha e chegou a invadir o provador, achando se tratar de uma ladra, apenas pela cor da pele. Para quem já teve um garoto-propaganda negro, isso é uma aberração. Racistas não passarão. O ocorrido foi na loja do centro do Rio, que fica na Rua do Ouvidor 186″, escreveu ele no Instagram.

FONTE : YAHOO BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *