Homem comete suicídio no Japão após trabalhar 150 horas a mais por mês

Um funcionário da prefeitura de Shibetsu (Hokkaido) cometeu suicídio após ser obrigado a trabalhar cerca de 150 horas a mais por mês além do expediente normal, informou a emissora NHK nesta quinta-feira (9).

Uma investigação solicitada pela prefeitura concluiu que Yudai Suzuki, 24 anos, teve distúrbio de sono por excesso de trabalho, resultando em depressão. Em julho do ano passado, ele saiu do trabalho, dizendo ao chefe que iria a um hospital, e desapareceu até o dia seguinte, quando seu corpo foi encontrado.

Entre 23 de junho e 22 de julho, o funcionário trabalhou 149 horas a mais no departamento de Comércio, Indústria e Turismo. No mês anterior, ele também foi obrigado a cumprir longos expedientes, totalizando quase 300 horas.

O chefe de Suzuki alegou que não tinha conhecimento de todas essas horas trabalhadas, dizendo que conferia o relatório de expediente apenas no final de cada mês.

A mãe do funcionário disse que o suicídio foi causado por excesso de trabalho e exige desculpas em local público por parte da prefeitura.

Uma grande reforma trabalhista que impõe limite de horas extras entrou em vigor no ano passado e o governo espera que as mudanças melhorem as condições laborais em um país onde o karoshi (morte por excesso de trabalho) se tornou um grave problema.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *