Kushner afirma que recomendou ao príncipe saudita que seja “transparente”

Jared Kushner, assessor e genro do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que recomendou ao príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman, que seja “transparente” no caso da morte de Jamal Khashoggi, visto pela última vez no dia 2 de outubro, entrando no consulado do seu país em Istambul, na Turquia.

Perguntado sobre o que disse ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita, com quem tem uma relação próxima, Kushner afirmou: “Ser transparente. Ser completamente transparente. O mundo está olhando”.

O assessor de Trump fez estas declarações em um evento organizado pela emissora de televisão americana “CNN”, no que também representou sua primeira aparição pública desde dezembro de 2017.

“Neste momento, como governo, estamos na fase de investigação. Estamos recebendo informação de múltiplos lugares. (…) O secretário de Estado trabalhará com nossa equipe de segurança nacional para nos ajudar a determinar no que podemos acreditar”, explicou Kushner.

“Esta é uma acusação muito grave. Uma situação muito grave”, acrescentou o genro de Trump.

De acordo com meios de comunicação americanos, Kusnher e o príncipe herdeiro saudita “forjaram um vínculo” desde que estiveram juntos em Washington no ano passado, falando frequentemente por telefone.

Na conferência de hoje, Kusnher afirmou que é “importante” manter a aliança entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita, um país relevante para os interesses de Washington na região do Oriente Médio.

“Temos que ser capazes de trabalhar com nossos aliados, e acredito que a Arábia Saudita foi um aliado muito forte em termos de rejeitar a agressão do Irã”, ressaltou.

Khashoggi desapareceu no último 2 de outubro após ingressar no consulado da Arábia Saudita em Istambul e as investigações na Turquia indicam que o jornalista, exilado desde 2017 em Washington, pode ter sido assassinado no consulado, algo que as autoridades sauditas rejeitaram.

A Arábia Saudita acabou no último sábado com a incerteza sobre o paradeiro do repórter, admitindo que Khashoggi morreu em uma briga no interior do consulado.

A Promotoria Geral saudita divulgou os resultados de uma investigação preliminar e confirmou a morte de Khashoggi em uma “briga” e um “enfrentamento com as mãos”, que aconteceu por causa das conversas que teve com as pessoas que lhe receberam no consulado, segundo a agência oficial saudita “SPA”.

FONTE : EFE BRASIL

  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *