Ladrão furtava à vontade e chegava a lavar roupa no local

Quando o policial fez perguntas de rotina para um homem em Okuma-cho (Fukushima), descobriu que ele tinha uma faca. 

Foi identificado como Satoru Kazama, 64 anos, natural de Ena (Gifu), de profissão e endereço incertos. A polícia estava atrás desse homem. Sua imagem já tinha sido registrada nas câmeras de segurança da área considerada de difícil retorno por causa do acidente nuclear da Usina de Fukushima, da Tepco-Tokyo Electric Power.

Vestido de roupa com estampa de camuflagem militar, chapéu e mochila, furtava as casas sem moradores.

‘Furtei à vontade’, confessou

Ele teria dito “furtei à vontade pois não tem habitantes”, explicou. Para prendê-lo a polícia precisava de um motivo. Sob suspeita de furto de um cartão de memória SD e uma caneta, no valor de 3 mil ienes, foi preso.

O homem tinha uma mochila com um arsenal de ferramentas e até uma lanterna de cabeça, como a usada nas emergências. Contou que estacionava seu carro próximo à estação de Tatsuta da JR, comprava comida e entrava nessa área.

A polícia acredita que ele vinha cometendo os furtos desde setembro do ano de 2017. Se sentia tão à vontade na área que pernoitava nas casas, durante semanas, lavava suas roupas e ia furtando outras na sequência.

A polícia sabe de pelo menos 300 casos, mas ele teria dito em interrogatório que foram mais de 500, em Fukushima.

&nbspLadrão furtava à vontade e chegava a lavar roupa no local
Apreensões feitas pela polícia: arsenal de ferramentas para furto (ANN)
FONTE : PORTAL MIE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *