MAC completa 67 anos de seu primeiro jogo como profissional

Nesta segunda-feira (7 de setembro), o Marília Atlético Clube (MAC) completa 67 anos do seu primeiro jogo como agremiação profissional – 11 anos depois de sua fundação (1942). O primeiro compromisso oficial foi uma partida amistosa realizada em 1953, no Estádio Bento de Abreu, contra o Rio Claro. Ainda nas cores vermelha e branca, o alvirrubro ganhou por 3 a 1, com dois gols de Valinho e um de Raul.

Naquela ocasião, o Marília tinha substituído a Associação Atlética São Bento no quadro profissional, que havia voltado a ser um clube amador. O MAC era presidido pelo farmacêutico Antônio Lourenço. O vice era Albino Ferreira. Evandro Lacerda ocupava a função de diretor esportivo.

Quando o primeiro jogo oficial do Marília completou 57 anos (em 2010), a reportagem JM conversou João Martins Netto, conhecido como ‘Vavo’, que era o ponta esquerda da época.

“Confesso que não me lembro muito bem deste jogo em específico. Recordo-me que nessa época eu tinha que conciliar os treinos com meu trabalho, no depósito de gasolina da Texaco, pois não dava para viver só com o salário de jogador. O gerente gostava de futebol e me liberava no período da manhã”, comentou.

Vavo lembrou que os treinamentos eram realizados duas vezes por semana: as terças e as quintas-feiras. “Em um dos dias aconteciam os trabalhos físicos, comandados pelo próprio técnico e no outro ocorria o coletivo.”, explicou.

O ex-ponteiro esquerdo do Marília disse que somente os jogadores contratados de fora viviam apenas do salário pago pelo clube. “Esses atletas ganhavam o equivalente hoje a aproximadamente R$ 5 mil”. Vavo também disputou a primeira competição oficial do alvirrubro, organizada pela Federação Paulista de Futebol (FPF): o Campeonato Paulista da 2ª Divisão de 1953/54.

Começo da rivalidade – Logo na estreia do primeiro estadual de sua história, o jogo aconteceu contra o rival Noroeste, no Estádio Bento de Abreu, no dia 29 de novembro de 1953. A partida terminou em 0 a 0. “A rivalidade com o Noroeste sempre foi forte e começou com o São Bento. Já com o BAC (Bauru Atlético Clube) não era a mesma coisa, pois o Norusca sempre teve mais tradição”, mencionou.

Vavo encerrou sua primeira passagem pelo MAC em 1955. “Tive outros empregos em que os meus patrões não me liberavam para treinar. Meu pai também não queria que eu continuasse a carreira de jogador. Por isso, me afastei do clube. O ex-jogador maqueano voltaria ao clube em 57. “O clube já estava em um momento bem ruim financeiramente, mas eu retornei porque gostava muito de futebol”.

No começo de 1958, o Marília voltou a ser uma agremiação amadora, pois não tinha condições financeiras para registrar os jogadores na FPF, para a disputa do Campeonato Paulista da 2ª Divisão. Segundo dados obtidos em jornais da época, Vavo fez 32 jogos com a camisa alvi-rubro e marcou sete gols. “Para mim representava muito vestir a camisa do MAC. Sou mariliense e tenho muito orgulho disso. Acompanho o clube atualmente pelo jornal e pelo rádio. Faz muito tempo que não vou ao estádio”, finalizou.

Escalações do 1º jogo como profissional do MAC:

Marília – Barbosa; De Paula e Mineiro; Ditinho, Vilela e Teixeira; Valinho (Rudi), Raul, Valter (Fortaleza), Miltinho e Vavo. Técnico: Orlando Scalco.

Rio Claro – Flávio; Valdemar e Ribeiro; Luiz, Gunga-Din e Ribeiro; Lula, Ademar, Borá, Cláudio e Rowai.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *