MAC deve estrear no Paulista da Série A3 com apenas dois setores do Abreuzão liberados

O MAC (Marília Atlético Clube) deve estrear no Campeonato Paulista da Série A3, no próximo dia 25 (sábado), às 19h30, diante do Linense, com apenas dois setores liberados do estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal, o Abreuzão.

“Estamos focando as obras para o novo tobogã – com entrada pela rua 21 de Abril e para a arquibancada geral (vale do sol). Se tudo correr bem e não tivermos tanta chuva para atrapalhar, conseguimos entregar estes dois setores a tempo”, enfatizou o secretário municipal de Obras Públicas, André Ferioli.

Servidores municipais que atuam como trabalhadores braçais e eletricistas atuam nas obras do Abreuzão e empresa terceirizada também auxilia na reforma do estádio.

Na Copa São Paulo de Futebol Júnior, as partidas entre Timon-MA x Olímpico-SE e Marília x Santos foram disputadas com portões fechados, uma vez que não houve o aval da corporação para o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

“Na Copinha o público é de 10 a 15 mil torcedores. Na Série A3 do Paulista a média não ultrapassa 2 mil torcedores por jogo. Acredito que o tobogã novo e a geral serão suficientes para receber o público”, mencionou o secretário.

Um acordo com o Corpo de Bombeiros teria sido firmado para garantir os jogos do MAC na 1ª e na 4ª rodada do Paulista da Série A3. “Descartamos a possibilidade de jogar fora de Marília, por enquanto”, comentou o diretor-executivo do Tigre, Diego Cope.

Rampas de acesso ao tobogã da rua 21 de Abril estão sendo construídas, além de bases de concreto para a instalação de corre-mãos. Saídas de emergência, iluminação de emergência com gerador de energia elétrica para as arquibancadas e outros reparos estão sendo promovidos pela Prefeitura para garantir a realização das partidas no Abreuzão durante a Série A3.

Outras obras

Em um segundo momento, a Administração municipal deve começar a fazer mudanças nas cadeiras cativas e cabines de imprensa. Para isso, dois lances da arquibancada devem ser inutilizados para aumentar o espaço para as emissoras de rádio e televisão trabalharem.

O corredor das cabines de imprensa, que hoje é de 60 cm de largura, deve passar a ter o dobro (1,20 m) e é provável que seja reduzida a quantidade de postos de imprensa – atualmente são 13.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *