Maria Bethânia canta valsa lançada por Orlando Silva em 1939

Em 1º de junho de 1939, quando Orlando Silva (1915 – 1978) entrou nos estúdios da gravadora RCA Victor para gravar a valsa Número um, o cantor carioca já mobilizava multidões.

Apresentada em disco de 78 RPM editado em setembro daquele ano de 1939, a gravação original da valsa dos compositores cariocas Benedito Lacerda (1903 – 1958) e Mário Lago (1911 – 2002) ajudou a manter Orlando no auge.

Desde então registrados por vários intérpretes, os versos altivos da valsa ganham pela primeira vez a voz de Maria Bethânia em gravação inédita feita pela cantora para o segundo álbum do baterista e percussionista Marcelo Costa, Vol. 2, programado para ser lançado neste ano de 2020 pela gravadora Biscoito Fino.

Bethânia figura duplamente no disco. Além de cantar Número um, a intérprete dá voz, na abertura do álbum Vol. 2, aos versos de Meu bom, música de 1987 de autoria do cantor e compositor Marcelo Costa Santos – homônimo do músico – que também abriu o primeiro volume, só que na voz de Caetano Veloso.
Sequência do Vol. 1, disco lançado em agosto, Vol. 2 reúne elenco estelar e predominantemente feminino que – além de Maria Bethânia – inclui Marisa Monte, Roberta Sá, Mart’nália, Teresa Cristina, Jussara Silveira, Mariana de Moraes e Paula Morelenbaum. Ney Matogrosso é o único representante masculino do time de convidados do álbum Vol. 2.

FONTE: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *