Marília pode chegar a 306 leitos para Covid-19, sendo 86 de UTI

Marília pode chegar a 306 leitos para Covid-19, sendo 86 de UTI e 220 de enfermaria. Nessa quarta-feira (13), os hospitais locais informaram 13 internados, sendo sete deles moradores da cidade. Esse número de pacientes não chega a 9% da capacidade atual. E representa apenas 4% da capacidade limite do município para internações por Coronavírus.

Segundo informações transmitidas pelo prefeito Daniel Alonso, Marília tem 42 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e mais 104 de enfermaria disponíveis para atendimento exclusivo a pacientes de Coronavírus, que foram reservados para a pandemia pelos hospitais locais.

Sem contar os leitos de UTI e gerais destinados às demais internações. E o prefeito declarou que a UTI da Santa Casa, do Hospital da Unimar e do Hospital das Clínicas ainda pode ter um aumento de 44 leitos, também exclusivos para a pandemia.

Já os leitos gerais poderiam ser aumentados em mais 116. Na soma, a capacidade seria para 306 pacientes internados por suspeita ou confirmação de Coronavírus, entre adultos e infantis, atendimentos públicos e privados.

“Seria como um hospital de campanha, só que contando com a estrutura já existente dentro dos próprios hospitais de Marília, que atendem pacientes locais e da região (62 municípios)”, disse o prefeito.

Partindo desse cenário, além de Marília ter uma transmissão baixa de Coronavírus, com 28 casos confirmados e 30 suspeitos, tem um quadro de internação “confortável”, com sobra de leitos para a pandemia, por enquanto.

Dos 13 pacientes que estavam internados ontem (13), sete são de Marília e os demais da região ou, eventualmente, de outras localidades, como é o caso do paciente João Rubens Joaquim, de Itajaí-SC. Ele é caminhoneiro e passou mal na estrada, pediu socorro à Polícia Rodoviária que o conduziu ao Hospital das Clínicas.

Paciente de Itajaí agradece HC de Marília por ter salvado sua vida

O paciente foi para casa com os aplausos dos profissionais de saúde do HC, após receber alta no domingo (dia 10). Ele esteve internado na enfermaria do HC.

Na saída do hospital, João Rubens Joaquim agradeceu o empenho de todos os profissionais da assistência, em uma despedida calorosa. Já em casa, o paciente mandou a seguinte mensagem ao hospital:

“É muito bom estar na minha casa, com minha família e meus filhos. Nunca é bom a gente estar no hospital. Mas os dias em que eu estive aí salvaram a minha vida. Nunca imaginei que fosse ser recebido e tratado por um hospital da maneira como fui pelo HC. Se quer me perguntaram se eu tinha dinheiro, se eu tinha plano de saúde, nada.

Simplesmente fui atendido, com médico toda hora em cima de mim. Foi um hospital maravilhoso. E pode ter certeza que vai estar sempre em minhas orações para que o HC viva para sempre. Vocês são muito importantes, salvam muitas vidas. Eu tenho muito a agradecer aos médicos, aos enfermeiros, desde o ajudante, da faxina no meu quarto, até o médico que se preocupava comigo, todo mundo.

Quero dizer que eu estou bem, muito bem, e um beijo no coração de todo mundo. Que Deus abençoe e que vocês continuem sempre assim. As pessoas precisam saber que existe um hospital assim, como o HCFAMEMA”.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *