Menos carne, mais floresta! O que você coloca no prato pode transformar a saúde do planeta

“Tem um monstro na minha cozinha” e “Segunda Sem Carne” reforçam um movimento por mais vegetais, com receitas saborosas e menos proteína animal

Informação, curiosidade e vontade, aliados a um momento de entretenimento regado pela animação “Tem um monstro na minha cozinha”, podem ser ingredientes perfeitos para o ingresso em uma jornada que, para muitos, quem sabe, ainda é um tanto quanto desconhecida. A redução do consumo de carne.

No último dia 22 de outubro, nós lançamos a animação que tem como objetivo denunciar o impacto devastador que a cadeia produtiva da pecuária tem sobre nossas florestas. Hoje, na Amazônia, cerca de 80% das áreas recém-desmatadas são ocupadas por gado.  

A partir da história de um menino que tem a cozinha invadida por um monstro, mas que na verdade trata-se apenas de uma onça que tem sua casa, a floresta,  ameaçada por queimadas provocadas por desmatadores criminosos, muita gente se mobilizou para apoiar um movimento que já faz parte da história do Greenpeace, o de redução do consumo de carne. 

Nós defendemos a redução do consumo de proteína animal, não apenas para poupar a floresta e reduzir as emissões de gases do efeito estufa, uma vez que a agropecuária é responsável por mais de 60% das emissões que provocam as mudanças climáticas, mas porque sabemos também que “mais vegetais e menos carne” é sinônimo de melhorias para a nossa saúde. Além disso, para quem pode fazer escolhas na hora de consumir, esta é uma maneira de enviar um recado para governos e empresas de que não estamos satisfeitos com o modelo agrícola atual e que exigimos novas formas de produção de alimentos.

Por meio da campanha Segunda Sem Carne, toda semana convidamos a todos, através das nossas redes sociais, a refletirem sobre como nossos hábitos alimentares geram impactos na nossa saúde, no planeta e nos animais. Ficar um dia da semana sem consumir produtos de origem animal parece pouco, mas isso já provoca muitas consequências positivas. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), mais de 327 milhões de refeições vegetarianas e veganas foram oferecidas entre 2009 e 2019 graças a essa mobilização.

Ao mesmo tempo em que políticas públicas são fundamentais para trazer as mudanças estruturais de que precisamos, vale também a conscientização do quanto nossas decisões individuais contribuem para o bem-estar do planeta. Se você pode escolher colocar no seu prato alimentos que não carreguem rastros de destruição, por que não começar agora?

Dê um primeiro passo e descubra o leque de cores e sabores que se revela quando você tira a carne do prato, nem que seja uma vez por semana, participando do Segunda Sem Carne. Não sabe por onde começar? Que tal dar uma espiada no e-book “Quarentena Sem Carne”, com receitas indicadas por um time de chefs, nutricionistas e influenciadores da boa alimentação, ou então, busque pela hashtag #menoscarnemaisfloresta nas redes sociais. E para você que já está com a gente nesse movimento, continue compartilhando suas receitas mais saborosas!

FONTE : GREENPEACE BRASIL

One thought on “Menos carne, mais floresta! O que você coloca no prato pode transformar a saúde do planeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *