No aniversário de 79 anos do MAC, conheça o 3º maior artilheiro da história

Nesta segunda-feira (dia 12), o Marília Atlético Clube (MAC) completa 79 anos de fundação e nesta data especial, a reportagem JM traz a história do ponta-direita Laerte Jordão, primeiro grande artilheiro do Alviceleste, que defendeu a equipe na década de 50, quando as cores ainda eram vermelho e branco. Ele é o terceiro maior goleador da história, só atrás de Itamar Belassalma (68) e Wellington Amorim (67).

Laerte Jordão jogou no MAC por dois anos (1954 a 1956). Foram 71 partidas disputadas e 51 gols marcados (média de 0,7). Todavia, o número de jogos e gols pode ser ainda maior, pois em oito duelos no período em que defendeu o clube, não há informações sobre as fichas técnicas. O ponta-direita chegou ao Alvirrubro com 22 anos, vindo do Velo Clube.

Logo em sua estreia balançou a rede, saindo do banco de reservas, em um amistoso contra o Veteranos Paulista, no dia 14 de novembro de 1954, no estádio Bento de Abreu. Placar terminou em 3 a 2 para o time da casa e o jogador entrou no lugar de Doquinha. Já em sua primeira partida oficial e segundo jogo pelo clube, foi titular e assinalou duas vezes na goleada de 10 a 2 sobre o Corinthians/Presidente Prudente, no Abreuzão, pelo Campeonato Paulista da 2ª Divisão (atual Série A-2).

Dos 51 gols confirmados pelo MAC, Laerte Jordão fez 38 no Bento de Abreu e por duas vezes conseguiu o ‘hat-trick’ (três gols em uma partida). Em sua despedida com a camisa maqueana também deixou sua marca. No dia 18 de novembro de 1956, pelo estadual da Série A-2, assinalou o único gol na derrota de 4 a 1 para o Catanduva, fora de casa, pela última rodada da 2ª fase.

Foto: Arquivo JM

ESCALAÇÃO DE 1956: Procópio, Luiz, Teixeira, Valente, Aníbal e Afrânio. Agachados: Moscatel, Laerte, Belmiro, Jonas e Henrique

Morte em 2016 – Laerte Jordão morreu no dia 16 de março de 2016, aos 84 anos – a causa da morte não foi informada na matéria, mas aconteceu em Ribeirão Preto. Nascido no dia 1º de fevereiro de 1932, em Santa Rita do Passa Quatro (300 km de Marília), depois de defender o MAC o ponta-direita jogou por Taquaritinga, Botafogo-SP (1958 a 1961), Ferroviária e encerrou a carreira no Comercial, em 1963.

Foi ainda treinador e jogador em Orlândia e na Usina Balbo, onde foi campeão amador invicto do Estado, em 1966. Em 1962 foi escalado para jogar contra a Seleção Brasileira na preparação para a Copa do Chile. 

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *