Obstetra é suspenso após bebê nascer sem rosto em Portugal

Um obstetra português foi suspenso depois que um bebê nasceu sem nariz, olhos e parte do crânio. Os pais do pequeno Rodrigo não sabiam das graves anormalidades físicas do filho até o nascimento dele, no início deste mês.

Entidades médicas decidiram suspender Artur Carvalho por acusação de negligência. Depois deste caso, surgiram novas queixas contra o profissional, envolvendo bebês que nasceram na última década.

Essa onda de relatos, publicada com detalhes e destaque pela mídia portuguesa, geraram indignação pelo país.

Segundo a imprensa local, o profissional era apelidado de “Dr. Cinco Minutos”, em razão da velocidade com que realizava exames pré-natais. Carvalho não comentou publicamente as acusações, e a BBC não conseguiu localizá-lo.

O que aconteceu ao bebê Rodrigo?

O garoto nasceu em 7 de outubro no hospital São Bernardo em Setúbal, cidade a quase 40 km de Lisboa.

Ao longo do pré-natal, a mãe dele passou por três exames de ultrassom em uma clínica particular conduzidos pelo médico Artur Carvalho, mas segundo o relato dela, o profissional não apontou qualquer problema de saúde no feto.

Aos seis meses de gravidez, passou por um quarto exame, mais detalhado (ultrassom 5D), em uma outra clínica. Durante o procedimento surgiu a possibilidade de anormalidades na formação do feto, mas as suspeitas foram refutadas por Carvalho, segundo a mãe da criança.

“Ele explicou que às vezes algumas partes do rosto não são visíveis (em ultrassons) quando o rosto do bebê está grudado à barriga da mãe”, afirmou a tia de Rodrigo a uma emissora portuguesa.

Depois do nascimento dele, quando as malformações ficaram claras, os pais foram informados que a criança só sobreviveria por algumas horas.

No entanto, duas semanas depois, Rodrigo está vivo e em tratamento médico no hospital.

Por não saberem dos problemas de saúde do filho, os pais decidiram registrar uma queixa contra o obstetra no Ministério Público.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que sejam feitos, no mínimo, três ou quatro exames de ultrassonografia durante a gestação (a depender da duração dela), sendo dois no primeiro trimestre e um em cada trimestre seguido.

FONTE : G1 ( VIA BBC BRASIL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *