Países da América Latina se unem para salvar as onças-pintadas

Em um compromisso global sem precedentes para salvar a onça-pintada, as principais organizações internacionais de conservação e 14 países se uniram para lançar o Plano de Conservação Onça-Pintada 2030 para as Américas. O projeto foi lançado durante 14ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-14), no Egito, e será apresentado oficialmente no Brasil, nesta quinta-feira 29 de novembro, em Foz do Iguaçu, uma das regiões prioritárias na conservação da espécie.
Desenvolvido em um momento crítico para o futuro do maior felino selvagem das Américas, o projeto visa fortalecer o Corredor da Onça-Pintada que vai do México à Argentina, assegurando 30 regiões prioritárias de conservação da onça até o ano de 2030. A iniciativa é focada em abrir um novo caminho para fortalecer a cooperação internacional e a conscientização das iniciativas de proteção da onça-pintada, incluindo aquelas que reduzem o conflito homem-onça. O projeto conecta e protege os habitats naturais de onça-pintada, e estimulam oportunidades de desenvolvimento sustentável, ecoturismo, comunidades e povos indígenas para melhorar o bem-estar, qualidade de vida e promover a coexistência com a espécie.
29 de novembro – Dia Nacional e Internacional da Onça-Pintada 
A criação do Dia Internacional da Onça-Pintada foi anunciada na COP-14 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), WWF, Wildlife Conservation Society (WCS), Panthera e representantes dos governos da América Latina. Comemorado anualmente em 29 de novembro, este dia aumentará a conscientização sobre as ameaças enfrentadas pela espécie, esforços de conservação garantindo sua sobrevivência e o papel da onça como uma espécie-chave cuja presença é o principal indicador de um ecossistema saudável, ou seja, é a base para um futuro sustentável tanto para a vida selvagem quanto para as pessoas.
Segundo o Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, o Brasil está totalmente comprometido em proteger a onça-pintada. “Queremos aumentar a conscientização pública e promover ações integradas, e também estabelecemos o Dia Nacional da Onça-Pintada, que será comemorado também em 29 de novembro”, comentou o ministro.
O Brasil é o país com maior população de onças-pintadas no mundo. Porém, na Mata Atlântica, é onde a espécie corre maior risco extinção. “Por um lado, temos a maior população e por outro temos também a maior ameaça para a onça-pintada que é a perda de habitat natural. Se nada mudar em pouco tempo a espécie estará completamente extinta na Mata Atlântica. Essa dualidade faz o Brasil ter papel de extrema importância para a preservação das onças e de toda a biodiversidade na América Latina”, afirma Felipe Feliciani, analista de conservação do WWF-Brasil.
De acordo com o Chefe de Biodiversidade e Ecossistemas do PNUD, Midori Paxton, o Plano de Conservação da Onça-Pintada para as Américas 2030 representa o tipo de parceria inovadora que é essencial para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela ONU.
“Ao unir os governos dos países, o setor privado, a sociedade civil e parceiros internacionais, o plano ajudará a proteger os corredores-chave da onça-pintada de forma a fortalecer a existência sustentável das comunidades locais além de abrir novas oportunidades de negócios para o ecoturismo e agricultura sustentável”, afirma Midori Paxton.
O Diretor Executivo da Panthera Conservation Science, Howard Quigley, acredita que o projeto representa um verdadeiro marco para o futuro da onça-pintada. “O Plano da Onça-Pintada 2030 dá vida nova à conservação da onça-pintada, proporcionando visão e soluções reais para o mundo proteger essas espécies culturalmente icônicas e ecologicamente essenciais, ao mesmo tempo em que cria enormes oportunidades econômicas e um futuro sustentável para todos. Este compromisso global inédito foca um projeto de conservação fundamental para as onças, o que é frequentemente negligenciado”, diz Howard Quigley.
Conservar a onça-pintada transcende a intenção de preservar uma única espécie. A conservação bem-sucedida da onça-pintada mantém florestas, carbono, biodiversidade, bacias hidrográficas e patrimônio nacional e cultural equilibrados. 
A realização deste projeto requer planejamento e gerenciamento visionário em diversos setores como, por exemplo, agricultura, silvicultura, infraestrutura e biodiversidade. Ao mesmo tempo que busca o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e as Metas Aichi. A amplitude do plano mostra o papel crucial da onça-pintada na conservação da biodiversidade, fato que é destacado na celebração do Dia Internacional da onça-pintada.
A onça-pintada é o maior carnívoro da América Latina. No entanto, 50% de seu habitat original foi perdido e as populações da espécie estão em declínio devido à caça ilegal e a perda do habitat. Devido a esse declínio, ela foi extinta em El Salvador e no Uruguai.
FONTE : WWF BRASIL
  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *