Pesquisa inédita no mundo: luz sobre caqui na prevenção do coronavírus

Na terça-feira (15) uma equipe da Universidade de Medicina da Província de Nara informou sobre o resultado de um experimento realizado com a substância adstringente do caqui. 

“Pela primeira vez no mundo, confirmamos que a adstringência do caqui inativa o novo coronavírus corona em mais de 1 para 10 mil”, afirmou o professor Toshihiro Ito.

O experimento foi realizado usando o adstringente de alta pureza adicionado à saliva com o vírus e deixado por 10 minutos. O resultado foi a desintoxicação do material desse temido coronavírus. 

O chamado de kakishibu, em japonês, é um líquido feito pela fermentação do chamado suco de caqui adstringente. O produto em si não é novidade pois desde antigamente é usado como material para aumentar os efeitos de propriedade antibacteriana em roupas e construções. 

A equipe do professor Ito pretende desenvolver mais pesquisa baseado nessa evidência, para verificar a eficiência em seres humanos. Trata-se de uma esperança para o combate ao novo coronavírus, na forma de prevenção. Por isso, pensa-se que podem ser desenvolvidos produtos como bala ou bebida, com tanino.

Ito alerta para não sair comendo caqui com adstringência, esse sabor que parece prender a língua, pois ainda é necessário continuar pesquisando.

&nbspPesquisa inédita no mundo: luz sobre caqui na prevenção do coronavírus
Professor Toshihiro Ito explicando sobre o resultado do experimento com a substância do caqui (ANN)

FONTE : PORTAL MIE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *