PREFEITURA, CPFL E INSTITUTO ECOFUTURO INAUGURAM BIBLIOTECA COMUNITÁRIA NA EMEF NELSON GABALDI

O objetivo do projeto é democratizar o acesso aos livros e promover a leitura

A Prefeitura de Marília, a CPFL Energia, maior grupo privado do setor elétrico brasileiro, por meio do Instituto CPFL, e o Instituto Ecofuturo, organização mantida pela Suzano, inauguram nesta quinta-feira (13), às 18h, a Biblioteca Comunitária Professor Eduardo Luiz Albieri, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Professor Nelson Gabaldi, localizada na rua Amador Bueno, 1.165, no bairro Vila dos Comerciários II, zona oeste da cidade.

A cerimônia de inauguração será aberta à comunidade e contará com apresentações culturais realizadas pelos estudantes da instituição, além da presença de autoridades locais.

O objetivo do projeto é democratizar o acesso aos livros e promover a leitura. A parceria entre as organizações contemplou a implantação de outras cinco bibliotecas: uma em Bebedouro, uma em Campinas e outras três no Rio Grande do Sul.

A iniciativa é financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), a partir do uso de recursos do subcrédito social, e tem apoio do Poder Público municipal.

A Prefeitura de Marília foi responsável por ceder, reformar e ampliar o espaço onde a biblioteca seria implantada, além de assumir a manutenção da unidade após a inauguração e contratar os funcionários que atuarão no local.

Atualmente, a Emef Professor Nelson Gabaldi atende 900 alunos do ensino fundamental I, do 1º ao 5º ano, e, desde 2017, funciona em tempo integral.

A nova biblioteca complementa o acervo já existente do colégio, com 1.000 livros novos de literatura, sendo 70% selecionados por especialistas da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), executora técnica do projeto, e 30% escolhidos pela comunidade.

Para esse projeto, também foram entregues mobiliários novos e equipamentos eletrônicos, como computadores e impressoras, disponíveis para o uso do público.

A biblioteca potencializará as ações desenvolvidas pelos educadores com os estudantes no contraturno da escola. Além disso, o espaço cultural será aberto à comunidade, tendo potencial para receber moradores de oito bairros vizinhos, em uma região com poucos projetos socioculturais.

Com cerca de 100 metros quadrados, a unidade possui um jardim externo, que será destinado à prática de leitura ao ar livre, promovendo a conexão das pessoas com a natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *