Prefeitura inicia “guerra” contra pernilongos

O pernilongo doméstico (Culex quinquefasciatus) não tem dado trégua neste inverno. Segundo o diretor do departamento de Entomologia e Endemias, Marco Antonio de Barros, o período de estiagem favorece a proliferação desse tipo de pernilongo.

Conforme Marco Antonio, a falta de chuva eleva o nível de poluentes e de matéria orgânica que serve de alimento para as larvas. “Países tropicais têm uma variedade grande de mosquitos o ano todo. No entanto, existem períodos mais propícios para esses insetos. Alguns pernilongos podem se proliferar em períodos com temperatura elevada e, no caso do doméstico, de menos chuva”, afirmou.

Diante disso, a equipe do departamento de Entomologia e Endemias, da Secretaria Municipal da Saúde intensificou, desde terça-feira (11), as ações do controle da infestação de pernilongos nos braços direito e esquerdo do Córrego Afonso XIII.

“Os bairros às margens do Córrego Afonso XIII estão sentindo mais esta infestação, pois os mosquitos tendem a permanecer perto dos criadouros, devido à presença de fonte alimentar e de sítios de oviposição neste local”, informou.

Somente inseticidas biológicos estão sendo utilizados para reduzir os impactos ambientais provocados pela nebulização.

Marco Antonio destaca que de terça para quarta-feira, foi constatada uma redução de mais de 50% das larvas nas poças que se formaram no córrego. A estimativa é de que em sete dias será possível sentir uma redução ainda maior na quantidade de inseto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *