Promotores em Tóquio consideram inaceitáveis críticas feitas por Carlos Ghosn

Promotores de Tóquio consideraram inteiramente inaceitáveis críticas feitas pelo ex-presidente do conselho de administração da Nissan Carlos Ghosn ao sistema de justiça criminal do Japão. Eles pretendem tomar todas as medidas ao seu alcance para fazer com que o executivo seja julgado pelo judiciário japonês.

Nesta quinta-feira, o vice-procurador-geral da Promotoria de Tóquio, Takahiro Saito, comentou no site do órgão, em inglês, a entrevista coletiva que Ghosn havia concedido horas antes em Beirute.

O texto diz que as alegações do executivo “ignoram inteiramente a sua própria conduta, com críticas parciais ao sistema judicial do Japão que são inteiramente inaceitáveis”.

Carlos Ghosn acusou o judiciário japonês de violar os seus direitos humanos e afirmou que a sua detenção foi orquestrada por promotores em conluio com a Nissan.

A mensagem de Saito explica que a Promotoria atuou “em conformidade com a legislação japonesa na realização da investigação de atos criminosos do réu e deu início à denúncia formal contra Ghosn.”

Além disso, o vice-procurador-geral nega a existência de qualquer conspiração entre os promotores e a Nissan. Afirma que a acusação feita pelo executivo é “categoricamente falsa e absolutamente contrária aos fatos”.

O texto é concluído com a declaração de que os promotores estão determinados a tomar todas as medidas ao seu alcance para que o executivo seja julgado pelo judiciário japonês.

FONTE : NHK PORTUGUÊS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *